SEAP FORMA ALUNOS EM CURSO DE SEGURANÇA E PROTEÇÃO DE AUTORIDADES

Formatura Curso de Segurança e Proteção de Autoridades (2)Treinamento específico teve aulas de abordagem pessoal e direção defensiva

 

Vinte e nove alunos entre Inspetores de Segurança e Administração Penitenciária (Isaps) Policiais Militares se formaram na manhã do último dia 26 de agosto no Curso de Segurança e Proteção de Autoridades, ministrado pela Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap). Desenvolvido nas dependências do Centro de Instrução Especializada (Ciesp), no Complexo de Gericinó , o curso teve duração de três semanas em um total de 153 horas de aula. Para adquirir o diploma alunos tiveram aulas de escalonamento da força, abordagem pessoal, armamento, noções de etiqueta, técnicas de escolta a pé, primeiros socorros, segurança física das instalações, técnica de escolta motorizada, planejamento de operações, direção defensiva, ofensiva e evasiva, tiro prático, segurança e proteção, pista de ação e reação, entre outras.

 

Formatura Curso de Segurança e Proteção de Autoridades (91)

Insira uma legenda

Durante a solenidade de formatura, na Escola de Gestão Penitenciária (EGP), o Secretário de Estado de Administração Penitenciária, coronel PM Erir Ribeiro Costa Filho, parabenizou os formandos pela iniciativa em aprimorar os conhecimentos. O secretário ressaltou que o curso está sendo realizado com recursos financeiros do Fundo Penitenciário e que verbas do mesmo fundo irão ajudar a melhorar cada vez mais a capacitação dos inspetores. “São oportunidades de aprimoramento profissional que estão sendo possíveis graças ao nosso fundo. Estamos fechando novas parcerias com a Estácio e Uerj para cursos de especialização. Queremos uma instituição cada vez mais capacitada e unida”, disse.

 

Os três primeiros alunos do curso, Otávio da Silva Mendonça, Davi de Andrade Barbosa e Rodrigo de Oliveira Sampaio Soares receberam o diploma das mãos do Secretário de Estado de Administração Penitenciária, Coronel PM Erir Ribeiro Costa Filho, da Subsecretária Adjunta de Administração e Gestão Estratégica , Ingrid Silva Rocha e do Diretor da Escola de Gestão Penitenciária, Paulo Alier de Oliveira Vazquez , respectivamente.

Formatura Curso de Segurança e Proteção de Autoridades (130)O Subsecretário Adjunto de Gestão Operacional, Deiverson do Nascimento Costa, destacou o empenho de todos os alunos e a dedicação do Ciesp em realizar o curso. “ Estamos galgando espaço para termos mais especializações e contarmos sempre com profissionais preparados. Nesse curso ,em especial, destaco a sagacidade dos alunos vão exercer a função em que arriscam a própria vida para proteger a autoridade “, disse. O diretor da EGP, Paulo Alier de Oliveira Vazquez disse que no passado o curso foi um desafio para a escola mas hoje é feito com excelência.

 

Orador da turma, o aluno Vagner dos Santos Pinheiro, reconheceu que completar todo o curso, com disciplinas rígidas foi uma dificuldade para todos os alunos. “Apesar das dificuldades foi gratificante o que aprendemos. Essa qualificação vamos levar para o resto de nossas vidas”, ressaltou.

 

Ao elogiar o empenho dos alunos a Subsecretária de Administração e Gestão Estratégica, Ingrid Silva Rocha também homenageou aos instrutores do curso ressaltando que o aperfeiçoamento será para vida funcional e pessoal dos inspetores. “Com todas essas capacitações vejo que falaremos com orgulho da nossa instituição e poderemos contar sempre com colegas capacitados e comprometidos com o nosso trabalho”
Ao final da cerimônia de formatura alunos assistiram a um vídeo elaborado pela Escola de Gestão Penitenciária, com todas as ações ministradas no curso e a simulação da proteção de uma autoridade em meio a realização da Olimpíada 2016.

 

Fonte: SEAP

Anúncios

INTERNOS DA SEAP TEM ACESSO A ALFABETIZAÇÃO NAS UNIDADES PRISIONAIS

Internos da Seap tem acesso a alfabetização nas unidades prisionais (2)

Internos da Seap tem acesso a alfabetização nas unidades prisionais

 

Cumprindo pena na Penitenciária Industrial Esmeraldino Bandeira, o interno Domingos Rodrigues Silva, de 42 anos, entrou no sistema penitenciário sem sequer saber assinar o próprio nome. Interessado, ele procurou a direção do presídio e faz parte hoje de um universo de detentos matriculados em uma das 19 escolas e três anexos existentes dentro das unidades prisionais da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária. Estudando por vontade própria Domingos hoje consegue escrever muito além do seu próprio nome e, já alfabetizado, faz planos para continuar a estudar. “ Enquanto estiver preso vou estudar . Quando sair daqui quero chegar na sociedade e mostrar que sou outra pessoa, que posso viver no meio de outras pessoas e recomeçar”, disse.
O reconhecimento da necessidade de alfabetização para grande maioria do internos aconteceu dentro da unidade prisional. Muitos confessaram que abandonaram a vida estudantil ainda no início da alfabetização. Para eles a escola e o aprendizado dentro dos presídios é uma maneira de transformar o tempo ocioso em estudo e, ao mesmo tempo, ter remissão de pena, já que a cada três dias de estudo o interno reduz em um dia a sua pena.

Internos da Seap tem acesso a alfabetização nas unidades prisionais (3)
Na Seap, as escolas, todas veiculadas à Secretaria Estadual de Educação, contam com acervo bibliotecário e um corpo docente. Professores e monitores se esforçam diariamente para que o ensino levado aos internos seja igual aos que os alunos da rede pública recebem do lado externo.
A vontade de aprender gera uma nova perspectiva aos alunos, que aprimoram o vocabulário, passam a desenvolver as quatro equações matemáticas, conhecem a história e a geografia do Brasil. Os que estudam acabam, também, por incentivar e motivar colegas de cárcere a voltar aos bancos escolares e ter amor pelos livros.
A dedicação pelos estudos e livros como forma de remir a pena e passar o tempo ocioso, foi a saída encontrada pela interna Dayana de Oliveira Silva, que está na Cadeia Pública Joaquim Ferreira de Souza, no Complexo Penitenciário de Gericinó. Matriculada no Colégio Estadual Maria Montessori, ela já cursa o 7º ano do ensino fundamental. Para Dayana, os dias em que passa na escola, onde adquire diariamente aprendizado, a ajuda a viver dentro da unidade. Esses dias, para a interna, passam a ser prazerosos. “A dedicação dos professores é excepcional. Nos tratam com igualdade, sem questionar o motivo que me fez estar no cárcere hoje. Este zelo em tentar nos aproximar ao máximo do que queremos ser lá fora, é indiscutível”, contou Dayana, que também agradece ao corpo docente que em sua opinião, faz da sua vida escolar, a melhor experiência possível.
Diretor da Divisão de Educação, Cultura e Esporte da Subsecretaria de Inserção Social, Geovani Barbosa de Lima, garante que o único meio de o preso conseguir benfeitoria ao ganhar a liberdade, é a educação. “A educação estimula o desenvolvimento, a criatividade e melhora a interação de todos”, disse. Giovani Barbosa, acrescentou que o ensino é bastante requisitado pelos presos e que a fila de espera para uma vaga é grande.
Para Giovani, o aluno precisa perseverar para continuar os estudos e, se quiser, pode chegar a completar o ensino médio e até mesmo fazer o Enem. “Ás vezes ele pode acreditar que irá entrar no colégio e começar a ler e escrever logo. No entanto, o processo é lento e construtivo, mas gratificante. Existe muita emoção quando o preso inicia a escrita do próprio nome e a leitura de pequenos textos. A leitura e a escrita apresentam o interno à cidadania”, disse Geovani.

 

Fonte: SEAP

OLIMPÍADA GARANTE LEGADOS NA ÁREA DE SEGURANÇA

Integração entre forças dos três níveis de governo é destaque

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Os Jogos Olímpicos deixaram um importante legado na área de segurança para o Rio de Janeiro. Além da aquisição de equipamentos e da oferta de cursos e oficinas de capacitação para policiais militares e civis e bombeiros, a integração entre os diversos órgãos das três esferas de governo ficará como herança da Olimpíada para a população e será essencial para reforçar a segurança durante a Paralimpíada, que começa no próximo dia 7
de setembro.

– Nos preparamos ao longo dos últimos anos e hoje podemos dizer que fomos vitoriosos nesta primeira fase dos Jogos Olímpicos. O nível de preocupação deve ser mantido e equipes continuam atuando nas centrais de comando e controle da segurança visando os Jogos Paralímpicos. Integração é a palavra-chave da Rio 2016. Com a atuação conjunta dos eixos de Segurança, Defesa e Inteligência nos âmbitos federal, estadual e municipal, conseguimos mostrar que é possível realizar eventos pacíficos e seguros – disse o subsecretário Extraordinário de Grandes Eventos da Secretaria de Segurança, Roberto Alzir.

_integra_____01

22/07/2016 – Trabalho de integração entre as Forças de Segurança para os Jogos começa integralmente na segunda. Foto Marcelo Horn

Atualmente, são mais de 6 mil câmeras de monitoramento georreferenciadas que transmitem imagens em alta resolução e em tempo real para o Centro Integrado de Comando e Controle (CICC). Os CICCs Móveis, que funcionam em caminhões e são usados em grandes eventos, possuem câmeras acopladas, inclusive com visão noturna.
O CICC favoreceu, desde a Copa das Confederações (2013), a integração e interoperabilidade entre as forças de Segurança, Inteligência, Defesa, Defesa Civil e Ordenamento Público. A Secretaria de Segurança também firmou parceria com agências internacionais (Estados Unidos, Reino Unido, França, Israel, entre outros países), que ajudaram a capacitar agentes públicos no enfrentamento a ameaças externas.

– O CICC se consolidou como marco da segurança em grandes eventos. Desde a inauguração, em 2013, ampliamos o grau de integração das forças, seja na rotina como em grandes eventos e casos de incidentes. Hoje, nosso dia a dia já conta com 10 agências e, durante os Jogos Rio 2016, concentramos aqui a representação de mais de 20 entidades. Foi uma experiência memorável, que faz do CICC uma referência internacional, inclusive recebendo delegações de locais que receberão futuros eventos. Todos ficam bastante impressionados com a estrutura que implementamos e dispomos, o que, para nós, é motivo de orgulho e um importante legado para o Rio – afirmou o subsecretário de Comando e Controle, Edval Novaes.

PauloVitor2
Polícias e Bombeiros investem em equipamentos e capacitação

A Polícia Militar ganhou dois helicópteros bimotores modelo EC 145 adaptáveis para múltiplas funções como imageamento aéreo, transporte de equipes de intervenções táticas e salvamento aeromédico. Além disso, possui um software de navegação por realidade aumentada que mistura imagens registradas em tempo real pela câmera com mapas online. As aeronaves podem decolar por instrumentos, em condições meteorológicas desfavoráveis e são equipadas com farol de busca infravermelho, radiopatrulha, alto-falante externo, câmera com infravermelho e sensor de temperatura para buscas noturnas.

A PM também contará com o apoio de três aeróstatos, balões que ficam a 200 metros de altura e 2 quilômetros de área de abrangência e que possuem um sistema de geração e transmissão de imagens em tempo real e alta definição para o CICC.
IMG_9559
Já a Polícia Civil disponibiliza uma DP Móvel – ônibus que funciona como uma delegacia, prestando atendimento aos cidadãos e servindo de ponto de apoio para outras unidades. A DP Móvel funcionou no Maracanã, nas cerimônias de abertura e encerramento dos Jogos, e na Vila Olímpica, para prestar atendimento especializado aos atletas. Durante os Jogos, foram instaladas projeções de delegacias nas regiões de competições e reforço do efetivo, inclusive com atendimento bilíngue para estrangeiros.

O Núcleo de Apoio a Grandes Eventos (Nage) da Polícia Civil realizou diversas operações de combate ao cambismo, inclusive com a prisão de dirigentes e empresários internacionais envolvidos no esquema. Também atuou no combate ao comércio de produtos ilegais contendo o símbolo dos Jogos Olímpicos e na investigação de casos envolvendo atletas estrangeiros, com repercussão internacional.
O Corpo de Bombeiros capacitou mais de 3 mil pessoas entre militares e servidores de outras instituições de segurança do Estado e do Brasil para atuarem na Olimpíada. Os alunos se aprimoraram tática, estratégica, operacional e tecnicamente em conteúdos como Comunicação Social, Psicologia de Massa, Gerenciamento e Análise de Risco e Sinalização de Emergência.

No quesito material, o governo americano doou equipamentos para atuação em atentados terroristas de natureza QBRN (Ameaças Químicas, Biológicas, Radiológicas e Nucleares). Roupas específicas (EPIs) como máscaras, antídotos, macas bolhas e objetos de detecção de nuvens tóxicas ficaram como legado para o Grupamento de Operações com Produtos Perigosos (GOPP).

Além dos legados do Governo do Estado, o Ministério da Justiça e Cidadania criou um Núcleo Permanente de Inteligência e Operações para combater o tráfico de drogas e armas e o contrabando nas fronteira brasileiras. Vinculado à Polícia Federal, o Centro de Cooperação de Polícia Internacional (CCPI) será usado como unidade de inteligência para combater criminosos brasileiros e estrangeiros e o tráfico de drogas em parceria com agentes internacionais.

 

Fonte: SESEG

 

Policial militar é campeão mundial de jiu-jitsu nos Estados Unidos

Imagens

O policial consagrou-se campeão no Word Master Jiu-Jitsu IBJJF Championship.

 

Lotado na Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP), o policial militar William Ferreira Bezerra de Oliveira, 30, consagrou-se campeão no Word Master Jiu-Jitsu IBJJF Championship. O campeonato foi realizado, no último dia 25, no Las Vegas Convention Center Halls, no Estado de Nevada – Estados Unidos.

De acordo com o soldado que integra a equipe Geração UPP, foram três mil atletas inscritos e cinco lutas difíceis até a conquista do título mundial. Segundo o atleta faixa marrom médio, a conquista consagra meses de treinamentos intensos e muito comprometimento. “Esse título é o que faltava na minha carreira no jiu-jítsu. Já ganhei tudo o que queria, mas nunca tinha lutado um campeonato mundial. Decidi competir

mesmo tendo que bancar tudo do meu bolso porque era o meu sonho e graças a Deus consegui realizá-lo”, destacou.Na avaliação da chefe de Assessoria de Polícia de Proximidade da CPP, major Bianca Neves, a conquista evidencia a qualidade do trabalho de proximidade realizado nas comunidades com Unidades de Polícia Pacificadoras (UPP) onde policiais militares ministram aulas de artes marciais gratuitas a 3.080 crianças, jovens e adultos inscritos nos projetos de prevenção. A oficial destacou, ainda, que, o ensino de qualidade vem junto de doações de quimonos e inscrições em campeonatos.

O atleta conta com os patrocinadores Legião da Boa Vontade (LBV), Super Rádio Brasil, Prime Esportes, Boomboxe, Concessionária Porto Novo e Governo do Estado do Rio de Janeiro.

 

Fonte: PMERJ/UPP-RJ

Mulher que insultou banhista na praia é presa por injúria racial no Rio

Foi estabelecida fiança no valor de R$ 2 mil para que ela deixe a cadeia.
Vídeo que registrou as ofensas causou revolta nas redes sociais.

A mulher que aparece em um vídeo agredindo verbalmente outra mulher na praia por causa da cor de sua pele foi presa em flagrante e indiciada pelo crime de injúria na 16ª DP (Barra da Tijuca). Crime prevê pena de um a três anos de prisão, além de multa.

Para deixar a prisão, foi estabelecida fiança no valor de R$ 2 mil. Até a segunda-feira (29), no entanto, Sônia Valéria Rebello Fernandez ainda não havia pago o montante e permanecia detida. O caso foi registrado na delegacia no fim da noite de domingo (28).

Mulher diz que jovem tem cabelo duro e revolta internautas na rede (Foto: Reprodução / Facebook)Mulher diz que jovem tem cabelo duro e revolta internautas na rede (Foto: Reprodução / Facebook)

 

As imagens publicadas na internet foram visualizadas mais de 1,7 milhão de vezes em menos de 24 horas. “Não tenho culpa de você se sentir agredida por ser mulata, amor. Você é uma complexada. Nasça branca. Você nasceu mulata. Fazer o que?”, gritava a mulher no vídeo.  Veja o vídeo.

Em outro momento, a Sônia segue com as ofensas: “Você é uma complexada, por ter cabelo duro”.

De acordo com a descrições das imagens, elas teriam sido gravadas na praia da Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio. Entre os comentários, usuários da rede social se manifestaram com pesar e incentivaram a denúncia contra a mulher.

“Pessoa digna de pena”, disse uma das pessoas que comentaram. Em outros comentários, usuários demonstraram revolta e desejaram a a punição da mulher. “Esta infeliz tem que ser punida, cadeia nela para aprender”, destacou outra pessoa que comentou no post. “Muito triste de ver esta cena”, disse outra internauta.

 

Fonte: G1

Suspeitos usavam apartamento da avó para guardar drogas na Zona Sul

Eles guardavam maconha, cocaína e ecstasy na residência, em Botafogo.
Policiais chegaram à dupla por meio de apreensão na Rodoviária Novo Rio.

A polícia do Rio prendeu dois jovens de classe média que vendiam drogas. Eles usavam o apartamento da avó de um deles em Botafogo, na Zona Sul, para guardar os entorpecentes, como mostrou o Bom Dia Rio. De acordo com as investigações, Gabriel Campos de Oliveira, de 24 anos, e Miguel Rodrigues Nunes, de 21 anos, seriam traficantes há três anos. Os dois também moravam no local.

No local foram encontrados maconha, cocaína, 500 comprimidos de ecstasy e até WAX, uma cera feita de maconha. Os agentes também encontraram uma pistola calibre 22.

Policiais chegaram até a dupla ao interceptar um homem que chegou ao Rio pela Rodoviária Novo Rio, vindo do Paraná. Os agentes encontraram 10 kg de maconha na mala deste homem, que confessou que a droga seria levada para este apartamento em Botafogo.

 

Fonte: G1

Imagens mostram resgate de polonês baleado em acampamento no Rio

Ele estava na Praia Funda com 3 pessoas quando homem chegou atirando.
Brasileiros também estavam no grupo; crime foi às 19h de terça-feira.

Imagens exibidas pelo Bom Dia Rio desta quarta-feira (31) mostram o resgate de um turista polonês e de um brasileiro feridos depois que um homem chegou atirando, por volta das 19h de terça-feira (30), no acampamento em que eles estavam na Praia Funda, em Barra de Guaratiba, na Zona Oeste do Rio. Eles estavam com mais duas mulheres, uma brasileira e uma americana.

Nas imagens, um bombeiro da reserva, que foi voluntariamente ajudar, aparece tentando tranquilizar a turista amerciana Maria Thereza Bull, de 53 anos.

Em outro momento, no meio da mata, PMs e bombeiros atendem outro estrangeiro, o polonês Pawel Gan Grvyboweki, de 28 anos. Ele é colocado em uma maca e levado da praia de helicóptero para o Hospital Estadual Alberto Torres, em São Gonçalo.

Polonês Pawel Gan Grvyboweki é atendido por bombeiros (Foto: Reprodução/TV Globo)Polonês Pawel Gan Grvyboweki é atendido por bombeiros (Foto: Reprodução/TV Globo)

 

Uma outra vítima, que também aparece no vídeo, é Thamirys Rocha dos Santos, de 20. Ela tinha um sangramento na boca, mas não foi baleada. O guia Valcleodes Alves Ferreira, de 28 anos, conhecido como Baiano, levou três tiros, um na barriga e dois na perna. Ele foi socorrido para o Hospital Municipal Rocha Faria, em Campo Grande, junto com as duas mulheres. As mulheres tiveram alta logo no início da madrugada e foram prestar depoimento na Delegacia do Recreio, onde o caso foi registrado.

“A gente foi acampar como de costume, como a gente faz sempre, e a gente estava se preparando pra jantar, quando do nada surgiu um cara efetuando disparos no Baiano, que é um amigo nosso. Foi do nada. A gente correu lá pra dentro do mato. Eu fiquei duas horas deitada no mato sem poder falar, sem poder reagir porque a gente não sabia quem estava atrás da gente, foi horrível”, disse Thamirys.

A turista americana disse que estava na praia há dois dias. Ela veio ao Brasil participar de um projeto social que reconstrói casas em Guaratiba. Maria Theresa contou que o atirador estava camuflado e usava máscara. Elas disse que o guia falou para todos deitarem no chão, mas o polonês reagiu.

O local onde o grupo acampava faz parte da trilha que dá acesso ao Pedra do Telégrafo. De acordo com o Corpo de Bombeiros, as vítimas estavam em local de difícil acesso e um helicóptero da Polícia Militar ajudou no resgate.

Um outro jovem, que não ficou ferido, também acampava perto de onde o grupo foi baleado. “Eu escutei os braulhos do tiro e corri pra dentro do mato. Torci pra chegar o resgate e pra alguém ter escutado também (…). Ninguém espera que vai acampar e ter um tiroteio, ou coisa do tipo no acampamento. Todo mundo vai pra relaxar, fazer a trilha, relaxar, aproveitar a praia. É um lugar que eu nunca mais vou querer voltar. Só eu sei as duas horas de sufoco que eu passei e eu achando que ninguém ia me encontrar”, disse o rapaz.

O Corpo de Bombeiros foi acionado por volta das 19h30. O Grupamento de Busca e Salvamento da Barra da Tijuca foi acionado para a operação de resgate. A ocorrência mobilizou, também, policiais do 31º BPM (Recreio).

 

Fonte: G1