Operação Centro Presente captura traficante da Formiga

img-20161231-wa0006

Agentes também prenderam dois assaltantes em flagrante

Agentes da Operação Centro Presente prenderam, na tarde desta sexta-feira (30/12), Jairo Conceição de Souza, o “Gerinho da Formiga”, 21 anos. Contra ele foram cumpridos três mandados de prisão por associação para a produção e tráfico e condutas afins, tráfico de drogas e extorsão. Segundo os agentes, ele foi capturado após tentar fugir quando percebeu a aproximação policial. Durante a abordagem, foi realizada uma pesquisa no Banco Nacional de Mandados de prisão, que indicou a existência dos mandados pendentes. Jairo, que teria atuado como gerente do tráfico da comunidade da Formiga, foi conduzido à 5ª DP (Mem de Sá).

Na noite de ontem (30/12), policiais militares da Operação receberam informações de que dois homens teriam acabado de roubar um ônibus, na Avenida Presidente Vargas. Agentes realizaram um cerco e abordaram o coletivo. Com Jeferson Alexandre dos Santos, 22 anos, e Wellington de Oliveira Agricola, 21 anos, foram encontrados dois celulares e um cordão de ouro das vítimas, que os reconheceram como autores do crime. Eles foram encaminhados, com apoio do 5º BPM, à 5ª DP (Mem de Sá), onde foram autuados por roubo.

Lapa Presente prende traficante em flagrante

Agentes da Operação Lapa Presente, durante patrulhamento na Rua do Lavradio, receberam informações, na noite desta sexta-feira, de que pessoas estavam comprando drogas em uma vila. A equipe foi ao local e encontrou Luís Carlos dos Santos Martins, conhecido como “Mega-Mente”, 39 anos, com sete papelotes de cocaína e R$ 20. Ele foi capturando no momento em que vendia drogas para dois usuários. Luís Carlos foi conduzido à 5ª DP (Mem de Sá) e autuado por trafico de drogas.

 

Fonte: Governo do Estado

Pai é preso acusado de estuprar a própria filha durante 7 anos

Com 17 anos, a vítima resolveu interromper os anos de abuso e denunciou o homem a polícia

Um homem indiciado por estuprar a própria filha durante sete anos foi preso, na última quinta-feira, por agentes da 96ª DP (Miguel Pereira), no bairro Plante Café, em Miguel Pereira, Centro-Sul Fluminense. A vítima, atualmente com 17 anos, tinha apenas 10 quando os abusos começaram.

Ela teria se revoltado com a situação e, acompanhada de seu tio, procurou a delegacia de Polícia Civil para denunciar os abusos. A adolescente afirma que ela e sua mãe se tornaram reféns do homem, que as ameaçava de morte constantemente.

 

Fonte: O Dia

Operação Lei Seca é intensificada nas festas de Ano-Novo

Serão realizadas 38 ações na virada, inclusive em cidades do interior, e todo o efetivo de 250 agentes estarão em atividade

Para minimizar os riscos de colisões e acidentes, principalmente com vítimas, nesta época do ano – período em que as comemorações levam, muitas vezes, motoristas a beberem além da conta –, o governo do Rio de Janeiro intensificou a Operação Lei Seca, com ações especiais nesta passagem de ano, na capital e em cidades da região metropolitana.

No total, serão realizadas 38 ações no Ano Novo, inclusive em cidades do interior, e todo o efetivo de 250 agentes estarão em atividade, divididos em 16 equipes. Até amanhã (1º de janeiro), também ocorrerão ações de prevenção, nas quais os cadeirantes da Operação Lei Seca promoverão trabalho de conscientização, em pontos de grande fluxo de pessoas, para alertar a população e turistas sobre os perigos da mistura álcool e direção.

Assim como foi feito nas festividades de Natal (dias 23, 24 e 25), as equipes atuarão nas regiões de maior fluxo de veículos. “Esperamos que o réveillon seja tão tranquilo quanto o Natal, e que as pessoas voltem em segurança para suas casas e famílias”, disse o coordenador da Operação Lei Seca, tenente-coronel Marco Andrade.

Light a postos

A concessionária Light também montou esquema especial para assegurar o fornecimento de energia para a festa da virada do ano, que envolve a mobilização de cerca de 1,5 mil profissionais – um terço deles  posicionados estrategicamente nos locais de maior concentração das festividades.

Equipes de emergência estarão a postos em locais como as praias do Flamengo e de Copacabana, na zona sul da cidade, onde acontece uma das maiores queimas de fogos do mundo; no Parque Madureira, Ilha do Governador, Piscinão de Ramos e Penha, na zona norte; e nas praias da Barra da Tijuca, Sepetiba e Pedra de Guaratiba, na zona oeste; e na Ilha de Paquetá, no interior da Baía de Guanabara.

Preventivamente, a Light realizou cerca de 4 mil inspeções na rede, além de monitoramento preventivo em 100 subestações em todos os municípios da área de concessão. Geradores emstand by também foram instalados em pontos estratégicos para atender a eventuais ocorrências.

 

Fonte: O Dia

Em depoimento, mulher de embaixador grego nega participação no crime: ‘Não podia evitar’

Françoise, mulher do embaixador da Grécia, não falou com a imprensa
Françoise, mulher do embaixador da Grécia, não falou com a imprensa Foto: Fabiano Rocha

Em meio a uma crise de choro, Françoise de Souza Oliveira, acusada pela polícia de ter tramado o plano para assassinar seu marido, o embaixador grego Kyriakos Amiridis, negou ter participado do crime em depoimento a agentes da Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF). No relato, Françoise aponta seu amante, o policial militar Sérgio Gomes Moreira Filho como autor do crime e disse que “não tinha culpa” e que “não podia evitar” o crime.

A mulher só delatou o policial após os policiais mostrarem a ela as imagens de câmera de segurança que mostram Sérgio e seu primo, Eduardo Moreira Tedeschi de Melo, carregando o corpo do diplomata envolto no tapete da sala da casa para a mala do carro. Sérgio, Eduardo e Françoise tiveram suas prisões decretadas pela Justiça nesta sexta-feira pelo crime.

No facebook da mulher do embaixador Françoise Amiridis, embaixador da Grécia no Brasil, Kyriakos Amiridis
No facebook da mulher do embaixador Françoise Amiridis, embaixador da Grécia no Brasil, Kyriakos Amiridis

Em seu depoimento, a mulher também revelou que conheceu o PM há seis meses e mantém um relacionamento com ele desde então. O policial tinha livre acesso à casa do casal em Nova Iguaçu e permanecia no local até enquanto o embaixador dormia. Segundo Françoise, sua relação com o embaixador causava um desconforto em Sérgio — o que teria motivado o assassinato.

Françoise também contou aos agentes que era constantemente agredida pelo marido, que, segundo ela, estava sempre bêbado. O amante da mulher alegou, também em depoimento, que foi uma dessas brigas entre Françoise e Kyriacos que o levou ao local do crime na noite de segunda-feira. Sérgio teria ido tirar satisfações com o embaixador, segundo seu relato.

A imagem que desesperou Françoise
A imagem que desesperou Françoise

O depoimento que levou a polícia a concluir que Françoise foi a responsável por tramar o assassinato foi o de Eduardo Tedeschi, primo do policial. Ele, que ajudou Sérgio a levar o corpo do embaixador para o carro, afirmou que a mulher teria oferecido R$ 80 mil para que ele participasse do plano. O dinheiro só seria dado a Eduardo um mês depois do crime.

— O primo disse que Sérgio e Françoise ofereceram R$ 80 mil para que o crime fosse realizado. Foi ele quem a levou ao cenário do crime. Por isso, pedimos a prisão dos três — disse o delegado Evaristo Pontes.

O policial e a mala do carro aberto
O policial e a mala do carro aber

Fonte: Extra

PRF prende dois foragidos em ônibus na Baixada Fluminense

PRF prendeu dois foragidos da Justiça
PRF prendeu dois foragidos da Justiça Foto: Divulgação/PRF

Dois foragidos da Justiça foram presos pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) na manhã deste sábado em uma abordagem a um ônibus interestadual na Rodovia Washington Luiz (BR-40), em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. As prisões ocorreram durante a “Operação Rota Segura”, que reforça o policiamento para coibir roubos de carga nas rodovias federais.

Os policiais faziam uma blitz, quando suspeitaram dos ocupantes de um ônibus e resolveram abordá-los. O coletivo seguia de Juiz de Fora, em Minas Gerais, para o Rio de Janeiro.

Ônibus seguia de Juiz de Fora para o Rio
Ônibus seguia de Juiz de Fora para o Rio Foto: Divulgação/PRF

Dois homicídios

Em uma consulta aos sistemas de segurança pública, a equipe da PRF verificou que um dos passageiros possuía três mandados de prisão em aberto. O homem, de 46 anos, estava acompanhado das duas filhas, de 7 e 10 anos.

Em 2013, ele foi acusado de ter cometido um homicídio qualificado, além de outro assassinato e uma tentativa. O mandado de prisão foi expedido pela 1ª Vara Criminal de Campos dos Goytacazes, na Região Norte Fluminense. O suspeito também tinha mais um pedido de prisão em aberto, pelo crime de posse de arma de fogo, expedido pela 4ª Vara Criminal de Juiz de Fora.

Outro passageiro também foi preso. Contra ele, havia uma ordem de prisão expedida num processo no qual é acusado por furto.

Os presos foram encaminhados à Central de Garantias, na Cidade da Polícia, no Jacaré, na Zona Norte do Rio.

Fonte: Extra

Acusados de assassinar embaixador grego são transferidos para presídios

A esposa Françoise Amiridis, chegando para depoimento na DHBF
A esposa Françoise Amiridis, chegando para depoimento na DHBF Foto: Fabiano Rocha

Os três acusados de envolvimento na morte do embaixador grego Kyriakos Amiridis, de 59 anos, foram transferidos da Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF), em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, para presídios em Niterói e Bangu. O policial militar Sergio Gomes Moreira Filho, lotado na UPP Fallet, foi transferido na noite de sexta-feira para o Batalhão Especial Prisional da PM, em Niterói. Já Françoise de Souza Oliveira, de 40 anos, mulher do grego e amante do PM, e Eduardo Moreira, primo do militar, foram transferidos por volta das 9h deste sábado para o Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, na Zona Oeste do Rio. A prisão temporária de 30 dias foi decretada pela Justiça do Rio na noite de sexta-feira.

Eduardo Moreira foi quem, segundo a polícia, contou detalhes sobre como o crime foi premeditado. De acordo com o delegado Evaristo Pontes Magalhães, da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF), o acusado afirmou em depoimento que a embaixatriz ofereceu R$ 80 mil para que o marido fosse morto.

 
Françoise, mulher do embaixador da Grécia, não falou com a imprensa
Françoise, mulher do embaixador da Grécia, não falou com a imprensa Foto: Fabiano Rocha

Ainda segundo o delegado, o crime foi praticado para que os dois, que mantinham um caso, pudessem se aproveitar dos bens do embaixador.

As investigações apontam que a embaixatriz e o PM mantinham uma relação extraconjugal há seis meses. Para a polícia, a versão contada pelo PM é inverídica. O militar disse que entrou em luga corporal com o embaixador e agiu em legítima defesa, mas essa versão é descartada pela perícia.

Durante o depoimento prestado pela esposa do embaixador, ela negou participação no crime. Ela relatou que o PM tinha sido o autor, que não tinha culpa e que não podia evitar o crime.

Um dos acusados, o PM Sérgio Gomes, dentro da DHBF
Um dos acusados, o PM Sérgio Gomes, dentro da DHBF Foto: Reprodução

Fonte: Extra

PM tenta impedir assalto e morre ao ser atingido por tiro

PM tentou impedir assalto quando foi atingido por disparo
PM tentou impedir assalto quando foi atingido por disparo Foto: Reprodução/Facebook

Um soldado da Polícia Militar foi morto após ser atingido por um tiro, na tarde desta sexta-feira, na Freguesia, na Zona Oeste do Rio. De acordo com a PM, Jonathan Barros de Carvalho, lotado no Batalhão de Jacarepaguá, estava de serviço em uma cabine localizada em frente ao Center Shopping, quando tentou impedir que criminosos fizessem um assalto perto daquele centro comercial.

Na ação, os bandidos dispararam contra o soldado, que conseguiu revidar. Ele, porém, terminou atingido na região do tórax. Jonathan chegou a ser socorrido e levado para o Hospital municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, também na Zona Oeste, mas não resistiu aos ferimentos.

O policial foi descrito como uma “ótima pessoa, que gostava muito do que fazia”:

— Era um garoto gente fina, família e casado. Era trabalhador. Estava de serviço, anunciaram que estava tendo um assalto, uns rapazes numa moto. Ele foi lá verificar e acabou sendo atingido. Não resistiu. Era uma ótima pessoa e gostava muito do que fazia — disse um amigo de farda do soldado.

Jonathan morreu aos 26 anos e estava na Polícia Militar há cinco.

Fonte: Extra