Visita da Corregedoria da PMERJ à Corregedoria Geral Unificada

O Corregedor da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro (PMERJ), Cel PM Wanderby Braga de Medeiros, e uma equipe formada pelos chefes de DPJM’s, peritos e criminalistas do CCrim, foram recebidos pela Desembargadora Ivone Caetano, Corregedora da Corregedoria Geral Unificada (CGU), nesta segunda-feira, 31/07, na sede da CGU, que fica no Prédio da Central do Brasil, no Centro do Rio Janeiro.
A visita teve como objetivo somar esforços e colocar a Corregedoria da PMERJ à disposição da CGU.
A Corregedoria da PMERJ conta com um corpo técnico de peritos, oito Delegacias de Polícia Judiciária, que atendem a todo o estado e realizam perícia médica.

 

Fonte: PMERJ

Comandante Geral da PMERJ participa de audiência para debater sobre Segurança Pública

O Comandante Geral da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, Cel PM Wolney Dias, participa nesta segunda-feira, 31/07, da audiência pública que debate sobre “Segurança Pública”, no auditório do edifício-sede do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ).
A audiência, realizada pelo MPERJ por meio do Grupo de Atuação Especializada em Segurança Pública (GAESP/MPRJ), da Assessoria de Direitos Humanos e de Minorias e da 1ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva de Proteção à Educação da Capital, é aberta à população e tem como objetivo promover a discussão, junto a especialistas, autoridades públicas e representantes da sociedade civil, sobre o atual cenário da política de segurança pública e sua compatibilização com a proteção dos cidadãos.
A vitimização dos profissionais de segurança é um dos temas abordados. Com as contribuições na audiência pública, o MPRJ poderá expedir recomendações aos gestores públicos, propor Termos de Ajustamentos de Conduta (TAC) e ajuizar Ação Civil Pública (ACP).

 

Fonte: PMERJ

SESEG ENTREGA MAIS DE 140 RADIOTRANSMISSORES AOS MUNICÍPIOS DE DUQUE DE CAXIAS, MESQUITA E SÃO JOÃO DE MERITI

 

O subsecretário de Comando e Controle da Secretaria de Estado de Segurança (Seseg), Rodrigo Alves, e o superintendente de Comunicações Críticas Alexandre Corval, fizeram, nesta segunda-feira (31/07), a entrega de 145 radiotransmissores para três prefeituras da Baixada Fluminense: Duque de Caxias, Mesquita e São João de Meriti. Com isso, treze prefeituras passam a ser integradas ao Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), na Cidade Nova. Estiveram presentes à solenidade, no auditório do CICC, o prefeito de São João de Meriti, João Ferreira Neto, o secretário de Segurança, Ordem Pública e Cidadania de Mesquita, Sergio Mendes e o secretário de Segurança de Duque de Caxias, Robson André, além de várias autoridades dos três municípios.
Adquiridos e utilizados durante os Jogos Rio 2016, os rádios são um importante legado e permitem a comunicação com outros órgãos de segurança, beneficiando diretamente a população dessas áreas.
O subsecretário de Comando e Controle, Rodrigo Alves, falou da importância da parceria entre os municípios:

“A melhor forma de enfrentar a crise pela qual passa o estado é somando esforços. No momento, a maior integração é fazer com que todos possam se falar: na mesma linguagem, no mesmo canal. A entrega dos rádios hoje permite isso. Há algum tempo, a Seseg recebeu os aparelhos, um importante legado dos jogos para a segurança, e vem fazendo parcerias com as prefeituras. Isso facilita muito os planejamentos e agiliza os contatos “, afirmou o subsecretário.

O superintendente de Comunicações Críticas, Alexandre Corval, destacou a importância dos aparelhos:

“Essa rede é digital e esses equipamentos são capazes de trafegar dados. É possível ter acesso a uma aplicação para que seja feito o monitoramento por GPS do posicionamento do efetivo que estiver em suas atividades corriqueiras. Uma outra informação importante é que a rede possui uma estrutura de segurança, precisa de autenticação e a comunicação é segura. Além dos grupos que cada prefeitura vai construir, todos os rádios vem acompanhados de grupos de comunicação de todas as forças que operam na rede “, disse ele.

Para o prefeito de São João de Meriti, João Ferreira Neto, a iniciativa é importantíssima, mas é o primeiro passo. Ele destacou que é preciso controlar a entrada de armamento no estado, além de intensificar outras medidas.

O secretário de segurança de Duque de Caxias, Robson André, destacou que é preciso unir as seguranças públicas da Baixada porque os municípios são muito próximos fisicamente. E que a integração com a Secretaria de Estado de Segurança é fundamental.

O secretário de Segurança, Ordem Pública e Cidadania de Mesquita, Sergio Mendes, afirmou que o município está sempre disposto a contribuir, não só recebendo ajuda, mas também ajudando no que for possível. Segundo ele, os radiotransmissores vão unificar a comunicação e permitir um melhor atendimento à população.

Desde o primeiro semestre, a superintendência de Comunicações Críticas (SSCRIT) da subsecretaria de Comando e Controle (SSCC) vem fazendo a entrega dos radiotransmissores em todas as regiões do Estado. As prefeituras de Niterói e São Gonçalo foram as primeiras a serem beneficiadas. Em seguida, foram alinhados convênios com os municípios do Médio Paraíba (Piraí, Barra do Piraí,Volta Redonda, Barra Mansa, Quatis, Porto Real, Resende e Itatiaia), assim como da Região Centro-Sul Fluminense (Valença e Paraíba do Sul) e outros municípios do estado, totalizando 22 acordos de cooperação firmados. Do total de 12 mil aparelhos, cinco mil haviam sido cedidos pelo Estado inicialmente para a organização dos Jogos Rio 2016. Eles foram vistoriados e reconfigurados pela superintendência. Sete mil aparelhos já haviam sido incorporados à Polícia Militar e outros dois mil à Polícia Civil, enquanto duzentos estão em uso pela Secretaria de Segurança. Outros 300 foram entregues à Secretaria de Estado de Administração Penitenciária.

Os 12 mil novos aparelhos são mais resistentes, inclusive à água, e contam com sistema digital no padrão TETRA criptografado, que garante a rápida resposta e comunicação segura entre as equipes operacionais espalhadas por todo Estado e o Centro Integrado de Comando e Controle (CICC). Além da alta qualidade de som, os aparelhos permitem o monitoramento por GPS – com localização das equipes em campo por mapas digitais e identificação rápida do atendimento mais próximo da ocorrência – e longa autonomia da bateria. A tela dos novos aparelhos foi aprimorada e permite o envio de mensagens curtas, estilo SMS. Entre os acessórios, o rádio dispõe de sistema PTT (push to talk / aperte para falar) de lapela acoplado e fone de ouvido, itens que facilitam o uso.

 

Fonte: SESEG

Guarda municipal do Rio vai ajudar a combater o crime, diz ministro da Defesa

Ministro da Defesa e prefeito se encontraram na sede municipal nesta segunda-feira (31). Mesmo sem armas, corporação ajudaria contra pequenos delitos.


Jungmann e Crivella anunciam apoio da Guarda Municipal à operação de segurança

Jungmann e Crivella anunciam apoio da Guarda Municipal à operação de segurança

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, se reuniu nesta segunda-feira com o prefeito do Rio, Marcelo Crivella, na sede da prefeitura, no Centro. Após o encontro, eles declararam que a Guarda Municipal vai ajudar na operação Seguranca e Paz, liderada pelas forças armadas.

De acordo com o secretário municipal de ordem pública, Coronel Paulo César Amêndola, que também participou da reunião, a guarda ficaria incumbida de coibir pequenos delitos para liberar a Polícia Militar no enfrentamento ao tráfico de drogas.

Ele não esclareceu como o trabalho será feito sem o uso de armas letais por parte dos guardas, já que é proibido.

“A Guarda Municipal, ocupando determinados trechos da cidade do Rio de Janeiro, vai liberar a Polícia Militar para uma atuação mais repressiva, conforme disse o ministro, para desarmar os arsenais da droga. Quem vai ocupar o asfalto é a Guarda Municipal com a sua ostensividade e efetivo, tirando a sobrecarga da Polícia Militar”, destacou Amêndola.

Jungmann afirmou ainda que a guarda auxiliará também com trabalhos de inteligência, já que “conhece a realidade da população”.

“A guarda tem condições de nos ajudar imensamente neste combate ao crime organizado dentro daquilo que são as diretrizes estabelecidas pelo senhor prefeito”, afirmou o ministro.

O ministro da Defesa confirmou que houve diminuição do número de militares nas ruas, mas justificou pelo fim do que chamou de “primeira etapa” da operação, que seria de reconhecimento. A segunda, diz ele, pode começar a qualquer momento. Mas ele não detalhou como foi idealizada.

Sobre o uso de carros e militares fortemente armados nas ruas, Jungmann afirmou que a postura é bem vista por moradores, dizendo que a população se sente mais segura. “Isso é motivo de aplauso, de alegria e de festa. O que assusta é a bandidagem, que inclusive se retraiu durante esse período”.

Fonte: O Dia

Operação no Turano termina com três mortos

PMs apreenderam armas, munições e drogas no local

Ação no Turano terminou com três mortos, apreensão de drogas, armas e munições

Uma operação do Batalhão de Ações com Cães (BAC) no Morro do Turano, na Tijuca, Zona Norte do Rio, terminou com três suspeitos mortos, no fim da tarde desta segunda-feira. Segundo os PMs, homens armados dispararam contra os militares na altura da Rua Rita.

Após o tiroteio, os policiais encontraram armas e drogas com os criminosos, que morreram no local. Foram apreendidos 100 trouxinhas de maconha, 186 papelotes de cocaína, 750 pedras de crack, uma pistola 9mm, uma pistola .40, carregadores de pistola, 50 munições de 9mm, 10 munições de .40 e uma granada.

Os PMs acionaram agentes da Delegacia de Homicídios (DH), para a perícia da região. O caso será encaminhado à DH.

 

Fonte: O Dia

Condenado por tráfico de drogas, Rafael Braga terá pedido de liberdade julgado nesta terça

Rafael Braga, condenado a 11 anos de prisão por portar 0,6 gramas de maconha e 9,6 de cocaína
Rafael Braga, condenado a 11 anos de prisão por portar 0,6 gramas de maconha e 9,6 de cocaína Foto: Reprodução/Internet

Condenado a 11 anos e três meses de prisão por ter sido encontrado com 0,6 gramas de maconha e 9,3 de cocaína, Rafael Braga, de 28 anos, catador de material reciclável do complexo de favelas da Penha, vai ter um pedido de habeas corpus julgado nesta terça-feira, pelo Tribunal de Justiça do Rio. Braga está preso no Complexo Penitenciário de Gericinó, na Zona Oeste, há quase um ano e meio por tráfico de drogas e associação criminosa.

A prisão de Rafael Braga, no dia 12 de janeiro de 2016, por policiais militares da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Vila Cruzeiro, é cercada de protestos e manifestações contrárias de movimentos sociais e artistas, que sustentam que a prisão teria sido forjada — como ele teria dito em depoimento. Neste mês, a história do catador voltou à tona após o filho da presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul (TRE-MS), desembargadora Tânia Garcia Freitas, preso em abril com 130 kg e cerca de 200 munições de fuzil, ter sido autorizado a trocar a prisão pelo tratamento em uma clínica médica. Ele foi diagnosticado com “Síndrome de Bordeline”.

Os advogados do Instituto de Defensores dos Direitos Humanos que fazem a defesa de Rafael Braga alegam que a fundamentação da condenação foi insuficiente e que o perigo da liberdade, em seu caso, é inexiste.

Durante as manifestações de junho de 2013, Rafael foi acusado de porte de artefato explosivo ou incendiário por carregar duas garrafas: uma de água sanitária e outro de desinfetante, com líquidos que continham etanol. Na época dos protestos, Rafael era morador de rua. Em dezembro, ele foi condenado a cinco anos de prisão pelo juiz Guilherme Schilling Pollo Duarte, da 32ª Vara Criminal. A pena chegou a ser reduzida para quatro anos e oito meses meses após a apelação da defesa.

Manifestantes protestam contra prisão de Rafael Braga
Manifestantes protestam contra prisão de Rafael Braga Foto: Reprodução/Twitter

“Quando foi vítima do flagrante forjado que originou a acusação por tráfico e associação, o paciente cumpria, de forma digna e honesta, o restante de sua pena em regime aberto com monitoramento eletrônico”, alega a defesa em um dos trechos do pedido de habeas corpus.

A defesa também frisa as condições dos presídios do Rio do Rio Janeiro e alegam que o cenário “vai ao encontro do Estado de coisas inconstitucional”.

“No Estado do Rio de Janeiro, superlotação, falta de atendimento médico, terríveis condições de higiene, ventilação e alimentação são responsáveis por transformar os presídios fluminenses em verdadeiras casas de tortura. Não se trata aqui de retórica defensiva ou de um posicionamento “ideológico”: o paciente, assim como as cerca de 51 mil pessoas presas no Estado, está sob perigo constante de morrer ou de sofrer graves lesões devido às condições desumanas a que está submetido”, dizem.

#LibertemRafaelBraga ocupa redes

Nesta segunda-feira, véspera do julgamento do pedido de liberdade, internautas foram para as redes sociais para protestarem contra a prisão de Rafael Braga e pedirem que a Justiça liberte o catador. A hashtag chegou a ocupar a segunda colocação entre os assuntos mais comentados em todo país.

 

Fonte: Extra

Criminosos atacam PMs da UPP Camarista/Méier

Um grupo de criminosos armados atacou policiais militares da Uidade de Polícia Pacificadora Camarista/Méier, na Zona Norte do Rio, na tarde desta segunda-feira. O ataque aconteceu por volta das 15h. De acordo com a UPP, os criminosos fugiram. Até o momento, não há registro de presos ou feridos no incidente.

Nas redes sociais, há relatos de motoristas voltando na contramão na Estrada Grajaú-Jacarepaguá após ouvirem tiros. No entanto, a informação não foi confirmada pelo 6º BPM (Tijuca) ou 18º BPM (Jacarepaguá), responsáveis pelo policiamento na via.

 

Fonte: Extra