Agentes do Aterro Presente apreendem armas e drogas

No Méier, grupo foi preso por furtar cabos de cobre

Agentes da Operação Aterro Presente, parceria entre a Secretaria de Estado de Governo e o Sistema Fecomércio RJ, apreenderam, neste domingo, duas pistolas carregadas, 97 trouxinhas de maconha, dois charutos de maconha, 64 sacolés de cocaína, sete comprimidos de ecstasy, além de R$ 609,50 em dinheiro, caderno de contabilidade e anotações do trafico.

Policiais do 2º BPM (Botafogo) perseguiam Nardone Nogueira Lolli que, depois de perder ocontrole da moto que pilotava, fugiu em direção ao Aterro do Flamengo com uma mochila. Ao ser informada sobre a ocorrência, equipe do Aterro Presente fez buscas na região e encontrou a mochila com o material apreendido, que foi encaminhado à 9ª DP (Catete), junto com a motocicleta que estava sendo pilotada por Nardone.

No Méier, agentes da Operação Méier Presente prenderam Gilmar Correia da Silva, que fazia apontamentos do jogo do bicho na Rua Oldegard Sapucaia. Em seu poder, foram encontrados R$ 315 em dinheiro, dois talões para aposta, um cartaz com propaganda do sorteio, uma calculadora, um telefone com dois carregadores e três envelopes com jogos feitos. Gilmar foi conduzido à 26ª DP (Méier).

Em outra ação, agentes do Méier Presente abordaram quatro homens que transportavam grande quantidade de cabos de cobre pela Avenida 24 de Maio. Após questionar o grupo sobre a origem do material, agentes apuraram que os cabos haviam sido furtados do campus de uma universidade desativada, na Rua José Bonifácio, a cerca de dois quilômetros do local da prisão. Os presos foram identificados como Casse Jhones de Souza Barcelo Ferreira ,de 21 anos, Reginaldo Mafalda Rodrigues Júnior, de 28 anos; Auricelio Farias dos Santos, de 37 anos e Bruno Silva de Lima, também de 37 anos. Todos foram conduzidos à 26ª DP.

 

Fonte: O Dia

Ordem Pública multa 146 mijões durante desfiles de blocos

Multa para quem for flagrado urinando em via pública é de R$ 510

Rio – Agentes da Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop), com o apoio de guardasmunicipais e fiscais do Lixo Zero, da Comlurb, multaram 146 mijões, sendo 21 mulheres, nos desfiles de blocos do pré-Carnaval 2016 neste fim de semana.

A fiscalização neste domingo multou 14 mijões no Bloco da Preta, no Centro. No Suvaco de Cristo, no Jardim Botânico, foram flagrados seis foliões que urinaram em área pública. Outros seis mijões foram multados no desfile do bloco Chora Me Liga, em Copacabana. No bloco Banda da Barra, duas pessoas foram multadas após fazer xixi na rua. Os agentes também aplicaram mais uma multa pelo mesmo motivo em outros blocos do Centro. Todos foram multados em R$ 510 pelas equipes do Lixo Zero.

Ordem Pública multou 146 mijões durante os desfiles de blocos do pré-Carnaval 2016 neste fim de semana

Foto: Divulgação

Desde o início da fiscalização dos blocos do Pré-Carnaval 2016, já foram multadas 322 pessoas (56 mulheres e quatro estrangeiros) por fazer xixi na rua. Na ação para coibir o comércio ambulante irregular foram apreendidas, neste fim de semana, em diversos blocos espalhados pela cidade: 7.024 bebidas diversas, 150 adereços, 152 copos decorativos, 15 chapéus, 116 sacolés, 39 óculos, 23 carrinhos, seis carroças, oito isopores, seis triciclos, uma churrasqueira, um botijão de gás, 16 espumas e um banheiro usado pelos ambulantes que ocupava área pública indevidamente.

A fiscalização também reteve 10 credenciais utilizadas indevidamente por ambulantes irregulares, muitas delas de anos anteriores, assim como 15 camisetas que eram usadas sem autorização para o comércio ambulante nos blocos. Os agentes também apreenderam um menor de idade que estava vendendo bebida alcoólica no bloco Imaginô? Agora amassa! com a credencial de outro ambulante autorizado, neste sábado (30/1). Ele foi encaminhado para 14ª DP (Leblon) para ser atendido pelo Conselho Tutelar.

O estacionamento em local proibido foi alvo da fiscalização, que rebocou 95 veículos. Ontem, quatro caminhões de gelo foram retidos por irregularidades e levados para o depósito da prefeitura.

 

Fonte: O Dia

Polícia Federal apreende R$ 158 mil no Aeroporto Santos Dumont

Segundo os agentes, dinheiro não foi declarado às autoridades alfandegárias e estava escondido dentro de mochila

A Polícia Federal apreendeu cerca de R$ 158 mil, na última sexta-feira, no Aeroporto Santos Dumont. A informação foi divulgada neste domingo. De acordo com a PF, o dinheiro estava com um homem que embarcaria em um voo com destino à Vitória, no Espírito Santo, e estava escondido dentro de uma mochila do passageiro.

Segundo informações da polícia, esse valor não foi declarado às autoridades alfandegárias e foi detectado durante a inspeção por raio-x. A ocorrência foi encaminhada à Superintendência da PF no Rio de Janeiro.

 

Fonte: O Dia

Operação da Core termina com um morto e cinco presos, em Santa Cruz

Policiais apreenderam fuzil, munição e duas granadas com os traficantes
Policiais apreenderam fuzil, munição e duas granadas com os traficantes Foto: Divulgação

Um homem foi morto e cinco foram presos, neste domingo, em uma operação Coordenadoria de Recursos Especiais (CORE), nas comunidades de Antares e Rola, em Santa Cruz, na Zona Oeste. De acordo com a Polícia Civil, os agentes trocaram tiros com Thiago Duarte Pereira, o “Serrote”, que não resistiu aos ferimentos. Os policiais informaram que ele seria integrante do tráfico de drogas local, com antecedentes por tráfico e formação de quadrilha.

Entre os presos está o traficante José Oliveira de Medeiros, conhecido como “Zé da Colina”, apontado como segundo homem na hierarquia do tráfico de drogas daquela localidade. De acordo com o delegado Fabrício Pereira, da CORE, José foi preso em flagrante e com ele apreendida grande quantidade de drogas, rádio comunicador e munição de fuzil. Durante a operação foram apreendidos dois fuzis 7.62, uma pistola calibre .40, munições de diversos calibres, drogas, além de apreender cerca dez veículos roubados.

Ainda segundo o delegado, foram capturados Lucas da Silva Domingos, o “LC”, que tem passagens por roubo e lesão corporal, Dyego Carlos Campos Teixeira, ex presidiário, com anotações por homicídio, Antônio dos Santos Silva, o “PAPA”, ex presidiário, com condenação por roubo, Alex Alves da Silva, o “LECO”, foragido do sistema penitenciário, com passagem por roubo.

Fonte: Extra

Ruas do Centro vão ganhar corredor de segurança

Área será policiada por 351 agentes, das 6h às 22h

Palco diário de roubos e assaltos, as ruas do Centro ganharão um corredor de segurança que começa na Praça Mauá, passa pela Candelária e a 1º de Março, e termina na Cinelândia. A área será policiada por 351 agentes, que ficarão encarregados da vigilância das 6h às 22h.

O custo estimado com o programa é de R$ 33 milhões ao ano. “Além de base financeira e econômica, o Centro é o corredor cultural da cidade e não pode ser tomado pela violência”, diz o secretário estadual de Governo, Paulo Melo.

Revitalizado, o Centro vive um boom no turismo. A previsão é que, na época da Olimpíada, milhares de viajantes passem pela região. A ideia é que o reforço no policiamento comece em maio.

Agentes

Os 351 agentes que vão patrulhar o Centro serão, em sua maioria, da reserva da Polícia Militar. O salário gira em torno dos R$ 3 mil. O lançamento do Centro Presente será publicado amanhã no Diário Oficial do estado.

Experiência

A ideia é repetir a bem-sucedida parceria com a Fecomércio, hoje associada ao SegurançaPresente no Méier, na Lagoa e no Aterro do Flamengo. Os três juntos custam R$ 22 milhões anuais.

 

Fonte: O Dia

Costa Barros vira ‘atacadão’ do tráfico

Agentes já recuperaram 70 mil litros de bebidas e 14 toneladas de carne na região

Cercada por um dos dois complexos mais perigosos do Rio, Chapadão e Pedreira — que são dominados por criminosos rivais —, a região de Costa Barros se tornou um verdadeiro ‘atacadão’ do tráfico. Com variedade de produtos roubados: carga de cerveja, carne, cigarro, eletrodomésticos, eletrônicos e até matéria-prima para a fabricação de medicamento que auxilia no controle do HIV. Segundo agentes da Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas (DRFC), em um ano, foram recuperados 70 mil litros de bebidas, 27.480 quilos de frango congelado e 14 toneladas de carne.

Segundo o delegado titular da unidade, Marcelo Martins, pelo menos 60% dos roubos são praticados por criminosos da Pedreira. “Os outros 40% são de bandidos do Chapadão, que preferem as cargas de cerveja. Já na Pedreira, há mais roubos de carne. Embora as preferências sejam diferentes, agem da mesma forma: sempre em dois carros e com oito pessoas. Usam fuzis e são violentos”, afirmou.

Carga de carne é recuperada no Complexo da Pedreira, em Costa Barros

Foto: Divulgação

O delegado da DRFC, Maurício Mendonça, diz que há ações distintas nos dois complexos. “No Chapadão, a vítima, geralmente o motorista, fica em cativeiro enquanto a carga é descarregada e os bandidos agem com violência e ainda pedem resgate pelo caminhão. Isso ocorre mais quando a carga é de gás. Na Pedreira, agem com mais rapidez e logo liberam as vítimas.”

As agressões a socos, pontapés e coronhadas na cabeça são comuns,segundo agentes. Um dono de frigorífico da Baixada Fluminense que preferiu não se identificar, contou que, apenas em dezembro, teve dez caminhões com carga de carne roubados na Via Light. “Abordam o motorista, que é feito refém e levam a carga para Costa Barros. O funcionário ainda é obrigado a descarregar a carga junto com os bandidos. Lá, a carne é vendida pela metade do preço. Por ano, temos um prejuízo de R$ 300 mil”, lamentou.

Uma das maiores apreensões feitas pela DRFC, ocorreu no primeiro semestre do ano passado, quando agentes recuperaram na Pedreira, uma carga de quatro toneladas de pó que seriam usados para a fabricação de medicamento para auxiliar o controle do HIV. O material estava avaliado em R$ 1 milhão.
Uma das cargas mais difíceis de serem recuperadas é a de cigarro. Segundo policiais, a explicação é clara. “É uma carga leve e que não precisa de armazenamento. Fácil de ser dispersa”, contou Maurício Mendonça.

Apesar das dificuldades, em 12 meses, a especializada apreendeu 1.532.815 unidades de cigarros. Ainda foram recuperados R$ 1.200,00 em eletrodomésticos.

Na semana passada, a DRFC recuperou cinco caminhões com cargas variadas: ovos de chocolate, carne suína, produtos de limpeza e mais de dez mil latas de cerveja Heineken e Desperados (cerveja com tequila).

Na quinta, um PM foi morto na Pavuna, após bandidos tentarem roubar um caminhão de cigarros.

Mais ataques em 4 pontos

As ações de bandidos da Pedreira e Chapadão têm ocorrido com mais frequência em quatro pontos do Rio. Na Baixada Fluminense, os ataques acontecem na Via Light, Arco Metropolitano, Rodovia Presidente Dutra e na Avenida Pastor Martin Luther King Junior, principalmente em São João de Meriti, que fica próximo de Costa Barros.

Na Avenida Brasil, os criminosos optam mais pelos trechos entre Irajá e Jardim América para atacar.
“A maioria das cargas, após serem roubadas e levadas para as comunidades, são vendidas para comerciantes do Grande Rio e Sul Fluminense. Eles são os interceptadores. Queremos cortar de cima. São eles que financiam este crime”, garantiu Maurício Mendonça, que além do delegado titular Marcelo Martins, trabalha com cerca de 50 agentes e nas operações utilizam um blindado e fuzis.

Eles estão à frente da especializada desde o dia 19 de dezembro de 2014. “Fazemos ações com inteligência e estamos identificando as lideranças das quadrilhas”, disse Marcelo.

 

Fonte: O Dia

Bope faz operação para retirada de barricadas no Complexo da Pedreira, em Costa Barros

Ação começou por volta das 9h
Ação começou por volta das 9h Foto: Divulgação

Policiais miliares do Batalhão de Operações Especiais (Bope) iniciaram neste domingo, por volta das 9h, uma operação para retirada de barricadas feitas por traficantes no Complexo da Pedreira, em Costa Barros, na Zona Norte do Rio. Os artefatos funcionam como obstáculos para a circulação de viaturas policiais na área. A ação durará por tempo indeterminado.

As barricadas interditam diversas ruas de acesso ao complexo e vias internas das comunidades.

Barricadas interditam diversas ruas do complexo
Barricadas interditam diversas ruas do complexo Foto: Divulgação

— A gente vai tirar todas: das comunidades da Pedreira, Lagatixa, Quitanda… — enumera o tenente-coronel Pimenta, do 41º BPM (Irajá), negando que alguma apreensão tenha sido feita na área durante a manhã: — O foco, hoje, é exatamente esse (a retirada de barricadas). O complexo está tomado por sete unidades do 2º Comando de Policiamento de Área (CPA).

O monitoramento conta com reforço de efetivos dos 9º BPM (Rocha Miranda), 14º BPM (Bangu), 18º BPM (Jacarepaguá), 27º BPM (Santa Cruz), 31º BPM (Barra da Tijuca) e 40º BPM (Campo Grande).

Fonte: Extra