Operação tenta desarticular ‘nacionalização’ do crime organizado, diz procurador

O chefe do Grupo Nacional de Combate às Organizações Criminosas (GNCOC) e procurador-geral do Ministério Público de Alagoas, Alfredo Gaspar, explicou que a operação de combate ao crime organizado que prendeu 90 pessoas até 12h30 em todo o país tem como objetivo tentar barrar a expansão de grupos criminosos.

“Não adianta desarticular um grupo em um local e mantendo a célula [criminosa] em outro. Por isso, a necessidade de se fazer a operação no nível nacional. Infelizmente, o crime se nacionalizou no tocante às organizações criminosas”, explicou Gaspar. Armas de fogo e granadas foram apreendidas.

As investigações dos Grupos de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaecos) resultaram em um total de 300 mandados, entre prisões e buscas, nos nove estados.

A ação é articulada pelo Grupo Nacional de Combate às Organizações Criminosas (GNCOC), um colegiado que reúne os Grupos de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaecos) do Ministério Público.

As operações acontecem de forma simultânea nos estados do Acre, Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Mato Grosso do Sul, Pernambuco e Rio de Janeiro.

Somente no Rio são três operações do MP-RJ.

Sertão Carioca

Nove policiais foram denunciados na Operação Sertão Carioca, após investigações feitas por meio de interceptações telefônicas.

Eles recebiam propina para fazer “vista grossa” ao tráfico de drogas e avisar aos criminosos sobre operações policiais.

Segundo o MP, os principais envolvidos são os policiais Flávio Fagundes Padiglione, a tenente Adriana da Silva Góes Vista e o major Rodrigo Lavandeira Pereira.

Os nove PMs foram denunciados por associação criminosa e corrupção passiva. A Auditoria Militar recebeu a denúncia e os afastou das atividades.

Sete traficantes também são alvo da operação pelo comércio de drogas na Serrinha, Fazendinha, São José da Pedra e Patotinha, além de homicídios.

Os principais denunciados, ainda segundo os procuradores, são Wallace de Britto Trindade, o “Lacoste”, e Leonardo da Costa, o “Leo 22”.

Operação Smurfing

Seis acusados de lavagem de dinheiro de drogas também são alvos da operação desta quinta. Eles seriam laranjas de integrantes de uma facção criminosa.

No total, foram 3.357 depósitos em dinheiro nas contas pessoais deles em um ano e seis meses.

Nos quase dois anos, foram movimentados pouco mais de R$ 1 milhão e a ocultação se dava em benefício de toda a organização criminosa, e não em benefício de pessoa específica.

Fonte: G1

‘Canil do terror’, diz presidente de comissão da OAB-RJ sobre local fechado pela polícia na Zona Norte do Rio


Polícia fecha canil clandestino no Grajaú

Polícia fecha canil clandestino no Grajaú

 

No dia seguinte do fechamento de um canil ilegal no Grajaú, na Zona Norte do Rio, o presidente da Comissão de Proteção e Defesa dos Animais da OAB-RJ definiu o local que abrigava cerca de 60 animais como o “canil do terror”, por causa das condições insalubres em que os animais eram mantidos.

“Tinha um canil específico para fêmeas grávidas. Das sete grávidas, duas estavam entrando em trabalho de parto naquele momento. Tiveram que ser recolhidas e levadas para o abrigo Casa de Lázaro, onde provavelmente deram à luz a vários filhotinhos”, explicou Reynaldo Velloso, presidente da comissão.

Os proprietários do local foram conduzidos por policiais da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA) para prestar esclarecimentos.

Além da ONG Casa de Lázaro, os animais também foram levados para a ONG Quatro Patinhas e para a casa do resgatista Randel Silva. Todos também participaram ativamente da ação no canil ilegal do Grajaú. Randel, inclusive, foi um dos responsáveis pela denúncia.

A ação também contou com agentes da Subsecretaria de Bem-Estar Animal e da Vigilância Sanitária e Controle de Zoonoses (Subvisa). As equipes também constataram a falta de higiene e encontraram animais confinados em espaço insuficiente onde fezes, urina e ração ficavam misturados. Alguns dos animais tinham tumores aparentes e outros sem um dos olhos.

O local foi interditado também pela falta de licença sanitária para operação e de certificados de vacinação dos cães. “Mas o pior de tudo foi encontrarmos animais mantidos em espaços sem iluminação e sem ventilação, em um ambiente de muita sujeira e riscos à saúde pública”, destacou o veterinário Anderson Borges, do Centro de Controle de Zoonoses.

Os animais resgatados passarão por exames e por castrações. Depois, eles devem ser colocados para adoção.

“Vida não se vende. Se não tivéssemos esse comércio de compra de animais, as pessoas deveriam adotar nos abrigos. Lá eles têm animais saudáveis, castrados, vermifugados, sem nenhum tipo de doença. Não compre, adote”, finalizou Velloso.

A reportagem contém imagens fortes — Foto: Arte/G1

A reportagem contém imagens fortes — Foto: Arte/G1

Animais em canil no Grajaú — Foto: OAB/RJ

Animais em canil no Grajaú — Foto: OAB/RJ

Cãozinho sem olho e em meio a fezes — Foto: OAB/RJ

Cãozinho sem olho e em meio a fezes — Foto: OAB/RJ

Cãozinho em cubículo com fezes — Foto: OAB/RJ

Cãozinho em cubículo com fezes — Foto: OAB/RJ

Cães ocupavam espaço exíguo cheio de fezes — Foto: OAB/RJ

Cães ocupavam espaço exíguo cheio de fezes — Foto: OAB/RJ

 

Fonte: G1

Moradores denunciam que traficante mandou derrubar passagem sobre rio para que polícia e rivais não circulem

Moradores dizem que traficante mandou derrubar passarela sobre rio em Marechal Hermes

Moradores dizem que traficante mandou derrubar passarela sobre rio em Marechal Hermes

 

Moradores da Zona Norte do Rio denunciam que o traficante conhecido como Coronel mandou derrubar uma passagem de pedestres que fica sobre o Rio Sapopemba, na Avenida Sargento Isanor de Campos.

A ordem do traficante de derrubar a passagem, que fica entre os bairros de Marechal Hermes e Deodoro, segundo os moradores, seria para evitar que bandidos rivais ou até mesmo a polícia em ação pudessem fazer uso dela.

Imagens feitas pelo Globocop na manhã desta quinta-feira (15) mostram que a passarela cedeu em um dos lados. Caixas de bebida foram colocadas no local para sinalizar e uma tubulação tinha sido rompida.

Sem ter a passarela, moradores precisavam atravessar o rio por cima de um tubulão, sem nenhuma segurança.

Moradores dizem que traficante mandou derrubar passarela na Zona Norte do Rio — Foto: Reprodução / Globocop

Moradores dizem que traficante mandou derrubar passarela na Zona Norte do Rio — Foto: Reprodução / Globocop

Globocop flagrou morador atravessando o rio passando por um tubulão — Foto: Reprodução / Globocop

Globocop flagrou morador atravessando o rio passando por um tubulão — Foto: Reprodução / Globocop

 

Fonte: G1

Carro é atingido durante perseguição, cai de viaduto e deixa uma criança morta

Caso aconteceu na Rodovia Washington Luís, na altura da Reduc, em Duque de Caxias

Um dos veículos envolvidos no acidente ficou pendurado

Um dos veículos envolvidos no acidente ficou pendurado – Reprodução / Internet
Uma criança morreu, no fim da tarde desta quarta-feira, após o carro em que ela estava ser atingido por outro durante uma perseguição e cair de um viaduto, na Rodovia Washington Luís (BR-040). O caso aconteceu por volta das 17h, na pista sentido Juiz de Fora (MG) da via, na altura da Reduc, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Lavina Gomes Esteves, de 1 ano e dois meses, chegou a ser socorrida, mas não resistiu.
De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), bandidos que estavam em um Honda Fit branco roubaram um Hyundai Creta branco na altura do km 116 da via. Homens em um outro veículo não identificado atiraram contra eles, quando se iniciou uma perseguição.
Cerca de 3 km depois, os assaltantes colidiram com um Chevrolet Celta prata, onde estava a criança, que despencou do viaduto. A criança chegou a ser socorrida no Hospital Adão Pereira Nunes (Saracuruna), mas morreu ao dar entrada unidade.
Além dela, outras seis pessoas estavam dentro do Celta: quatro adultos e mais duas crianças. Elas também foram socorridas para o Saracuruna e a identificação e o estado de saúde delas também não foram divulgados.

O Chevrolet Celta prata que despencou do viaduto – Reprodução / Internet
Passageiros que estavam em um ônibus que passava pela região no momento dos tiros tiveram que se abaixar para se proteger dos disparos.
“Imagina você tranquila dentro do ônibus , de repente todo mundo se abaixando por causa dos tiros e você se abaixa por que vê todos abaixando e não entende nada. Mas, na frente, os assaltantes bateram e um dos carros caiu do viaduto e pra surpresa com 3 ou mais crianças dentro. Agradeço a Deus pelo livramento e que as vítimas estejam bem. É só Deus para nos guardar”, uma passageira desabafou, pelas redes sociais.
Fonte: O Dia

PRF apreende arsenal que seria entregue em favelas do Rio

Caso aconteceu em Juiz de Fora, em Minas Gerais

 

PRF apreende arsenal que seria entregue em comunidades do Rio

PRF apreende arsenal que seria entregue em comunidades do Rio – Divulgação
Um arsenal com vários fuzis, pistolas e milhares de munições foi apreendido pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), na tarde desta quarta-feira, em Juiz de Fora, em Minas Gerais. De acordo com a PRF, o armamento teria como destino comunidades do Rio de Janeiro. Um casal, um homem, de 38 anos, e uma argentina, de 22 anos, foi preso em flagrante.
Durante a revista, os policiais encontraram um fundo falso na caminhonete.No total, foram apreendidos dez fuzis, 20 pistolas e cerca de 2 mil munições de calibres restritos. Além disso, também foram encontrados 40 carregadores para fuzis e 38 para pistolas.
Após levantamentos de inteligência da PRF no Rio, uma caminhonete que estaria transportando o armamento foi identificada. Policiais rodoviários federais do RJ e MG fizeram um cerco e conseguiram localizar o veículo. A abordagem foi feita num posto de combustíveis, no bairro Nova Era, no município da zona da mata mineira. A ocorrência foi encaminhada à Polícia Federal.
Fonte: O Dia

Polícia realiza operação para prender quadrilha responsável por venda de anabolizantes

Ação acontece nas cidades do Rio, Niterói, São Gonçalo e São Paulo

 

Carga de anabolizantes apreendia pela Polícia Civil em abril de 2018

Carga de anabolizantes apreendia pela Polícia Civil em abril de 2018 – Maíra Coelho / Agência O Dia
Policiais da 94ª DP (Piraí) realizam, nesta quinta-feira, uma operação contra uma quadrilha acusada de armazenar e revender anabolizantes e substâncias proibidas em academias. A ‘Operação Trinus’ busca cumprir 13 mandados de prisão e 16 de busca e apreensão. A ação acontece nas cidades do Rio, Niterói, São Gonçalo e São Paulo.
Segundo a Polícia Civil, a investigação, que durou cerca de um ano, teve início a partir de um inquérito instaurado pela 73ª DP (Neves), que apurou que as drogas vinham de fornecedores das cidades de Campos do Jordão, São José dos Campos e Ribeirão Preto, onde também eram produzidas em um laboratório de fachada.
Um dos integrantes da quadrilha foi preso em flagrante no decorrer da investigação. A partir dessa prisão, os agentes localizaram um depósito em que os anabolizantes que vinham de São Paulo e do Paraguai eram guardados para serem vendidos em estabelecimentos.
Fonte: O Dia

Rock in Rio contrata 200 vigilantes para trabalho temporário

Rock in Rio: agentes de segurança serão contratados

Rock in Rio: agentes de segurança serão contratados Foto: Arquivo

Interessados em trabalhar no Rock in Rio podem concorrer a 200 vagas de emprego temporário como vigilante. Os candidatos terã que zelar pelo patrimônio, saber se comunicar via rádio, prestar informações ao público, recepcionar e controlar a movimentação de pessoas.

Para disputar uma das vagas oferecidas, é preciso apresentar o certificação de vigilante em dia e ter feito o curso de Grandes Eventos, além comprovar ensino médio completo e experiência em carteira de trabalho.

Os interessados devem preencher o formulário disponível no link. A seleção será feita nesta quinta-feira, dia 15.

Segundo a Secretaria estadual de Desenvolvimento Econômico, Emprego e Relações Internacionais — que está promovendo a seleção —, o candidato previamente selecionado será informado por telefone.

 

Fonte: Extra