Três pessoas são baleadas em tiroteio no Centro do Rio


Pessoas se aglomeram no Largo da Carioca, no Centro do Rio, no início da tarde desta sexta-feira (24)  — Foto: Reprodução/Acervo pessoal

Pessoas se aglomeram no Largo da Carioca, no Centro do Rio, no início da tarde desta sexta-feira (24) — Foto: Reprodução/Acervo pessoal

Três pessoas foram baleadas durante um tiroteio no Largo da Carioca, no Centro do Rio, no início da tarde desta sexta-feira (24).

Segundo a Operação Centro Presente, o tiroteio aconteceu depois que um PM de folga presenciou um assalto a um homem que saía de uma agência bancária. Na troca de tiros, o suspeito foi baleado, além de dois pedestres que foram feridos de raspão na perna.

Os policiais do Centro Presente chegaram em apoio, prenderam o suspeito e chamaram os Bombeiros para efetuar o socorro. Bombeiros do Quartel Central foram acionados às 14h05 para socorrer as vítimas. Elas foram levadas para o Hospital Municipal Souza Aguiar, também no Centro.

O G1 entrou em contato com a Polícia Militar, mas até a publicação dessa reportagem não havia resposta sobre os autores do disparo.

Com o suspeito foi apreendido um revólver calibre 38, dois telefones celulares e um envelope com dinheiro. A ocorrência está sendo registrada na 4ªDP.

Fonte: G1

Criminosos tomam conta de área próxima ao antigo lixão de Gramacho, Duque de Caxias


Lixão desativado em Gramacho há sete anos continua em funcionamento até hoje

Lixão desativado em Gramacho há sete anos continua em funcionamento até hoje

Criminosos tomaram conta de Jardim Gramacho, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, impedindo a revitalização de uma área próxima ao antigo lixão. Além de lucrar com o descarte irregular de lixo, eles também usam o espaço para abandonar carcaças de carros roubados.

A devastação ambiental é imensa, com o lixão a céu aberto e em expansão em direção à Baía de Guanabara e ao Aeroporto Internacional do Rio. Conforme flagrantes exibidos pelo RJ1 nesta sexta-feira (24), caminhões deixam o local usando estradas de terra.

Próximo do local funcionou, por mais de 30 anos, o lixão de Gramacho, que chegou a receber quase 10 mil toneladas de lixo por dia. Ele foi fechado oficialmente em junho de 2012.

Na época do fechamento, foram anunciados projetos de melhorias e revitalização de todo o bairro Jardim Gramacho. Quase 8 anos depois, nada saiu do papel.

“Naquele momento [em que o lixão foi desativado] os órgãos ambientais não exigiram a implantação das estações de tratamento de chorume. O resultado disso é que a Baía de Guanabara recebe hoje um bilhão de litros de chorume por ano”, enfatizou o ambientalista Sérgio Castro.

Segundo a polícia, criminosos cobram uma taxa para que o lixo seja descartado em lixões clandestinos. O descarte é feito sem controle ambiental e sem tratamento e fiscalização.

“Nós não podemos nem dizer que são lixões clandestinos. Inclusive, são de conhecimento de autoridades públicas, da prefeitura de Duque de Caxias, dos órgãos ambientais do estado”, afirmou Castro.

Segundo os ambientalistas, todo o chorume produzido pelos lixões clandestinos da região vai parar na Praia de Tubiacanga, na Ilha do Governador – um impacto grande na saúde dos moradores e pescadores da região.

A praia fica em frente ao terreno do lixão e nos dias de sol recebe moradores com crianças, mesmo com a grande quantidade de lixo e esgoto na areia.

“É lamentável, porque a economia do Rio é uma economia do litoral, economia do mar. E estamos vendo que as praias são impróprias e a baía recebe algo em torno de 90 toneladas de lixo flutuante por dia. É muito chocante. Precisa de fiscalização do poder público. Há omissão histórica do poder público naquela região”, enfatizou o ambientalista Sérgio Castro.

O que dizem os envolvidos

  • Polícia Civil – para a produção do RJ1, a Polícia Civil informou que a delegacia de Duque de Caxias concluiu um inquérito sobre a atuação de traficantes no local e que ele foi encaminhado ao Ministério Público. Mais tarde, a assessoria informou ao G1 que a delegacia de Duque de Caxias está com a investigação em andamento sobre a atuação de traficantes no local.
  • Prefeitura – a Prefeitura de Duque de Caxias disse que a responsabilidade de fiscalizar o despejo de lixo é do Instituto Estadual do Ambiente (Inea). Alegou, ainda, que a atuação de criminosos na região dificulta os trabalhos de fiscalização dos órgãos do município. Apesar disso, disse que vem revitalizando a área com o asfaltamento de algumas ruas no entorno.
  • Inea – O Inea informou que problemas de ocupação do solo e a gestão de resíduos são de responsabilidade da prefeitura de Duque de Caxias. Segundo o instituto, são realizadas operações frequentes para reprimir e interditar lixões clandestinos que ficam às margens da Baía de Guanabara.

 

Fonte: G1

Vídeo: homem usa pé de cabra para quebrar estação do BRT em Santa Cruz

Ele danificou a bilheteria, uma máquina de autoatendimento, além de todas as catracas do local

 

Homem quebra estação de BRT com um pé de cabra

Homem quebra estação de BRT com um pé de cabra – Reprodução / Internet
Um homem, que não teve sua identidade revelada, invadiu, na manhã desta sexta-feira, a estação Curral Falso do BRT Transoeste, com um pé de cabra e quebrou a bilheteria, uma máquina de autoatendimento, além de todas as catracas do local. A estação fica em Santa Cruz, Zona Oeste do Rio.
Após o ocorrido, a estação Curral Falso teve que ser fechada. De acordo com o BRT, ela ficará interditada até o término das obras de conserto. O consórcio recomenda que os passageiros da região optem pelas estações Cajueiros ou Santa Veridiana.
Ainda segundo o BRT, as imagens do ataque serão encaminhadas para a polícia para o registro de ocorrência. O homem também estava com um martelo. Até o momento, não há informações sobre os motivos que levaram ao ataque.
PREJUÍZO DE R$ 1,5 MILHÃO AO MÊS
O consórcio informou que todos os dias é aberta pelo menos uma ocorrência para conserto de equipamentos do BRT, por causa de destruição ou furto de peças.
O prejuízo estimado com o vandalismo e o mau uso das estações e terminais é de cerca de R$ 1,4 milhão por mês. Já com portas de vidro são gastos cerca de R$ 500 mil ao mês.
Fonte: O Dia

Operação Bloqueio flagra visitante tentando entrar em presídio com droga em marmita

Material foi encontrado por inspetores penitenciários durante revista no Presídio Evaristo de Moraes, em São Cristóvão

 

Seap realizou a operação

Seap realizou a operação “Bloqueio” no Presídio Evaristo de Moraes – Divulgação / Seap
Servidores da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) realizaram, nesta quinta-feira, uma operação no Presídio Evaristo de Moraes, em São Cristóvão, e detiveram um visitante não identificado que tentava entrar com drogas na unidade penitenciária. A droga estava escondida dentro de uma marmita de arroz e feijão.
O conteúdo e a visitante foram levados para a 17ª DP (São Cristóvão), para registro de ocorrência. Segundo a Seap, a Operação Bloqueio, em 2019, prendeu 115 visitantes tentando entrar com drogas e celulares em cadeias. Nessa ação, já foram presas pessoas tentando arremessar drogas e celulares para dentro das unidades; mulheres forjando gravidez para não passar no scanner.

Além da Operação Bloqueio, a “Iscariotes” flagrou 23 inspetores penitenciários tentando entrar com objetos ilícitos nas cadeias. Ainda segundo a Seap, os casos estão sendo apurados pela Corregedoria. Já a Operação “Asfixia”, realizada pelos inspetores penitenciários, já apreendeu 10.282 aparelhos celulares em unidades prisionais.

Fonte: O Dia

Vídeo: três crianças morrem em incêndio a residência em Paraty

Mãe das meninas inalou muita fumaça e foi socorrida em estado grave

Chamas atingiram imóvel de dois andares

Chamas atingiram imóvel de dois andares – Reprodução / Internet
Três crianças morreram, no início da manhã de sexta-feira, em um incêndio a uma residência em Paraty, na Região da Costa Verde. Todas elas, que ainda não tiveram a identificação revelada, são irmãs.
Dara Cristina de Almeida Santos, de 25 anos, a mãe das meninas, conseguiu ser socorrida e foi levada em estado grave ao Hospital Municipal Hugo Miranda, na própria cidade. Ela não teve queimaduras, mas inalou muita fumaça. Ainda não há informações sobre seu atual estado de saúde.
O incêndio aconteceu por volta das 7h, em um imóvel de dois andares, que fica na Rua Canal 2, no Parque Mangueira, na Ilha das Cobras. O quartel do Corpo de Bombeiros do município foi acionado e esteve no local para controlar as chamas.
Moradores da região tentaram, em vão, controlar as labaredas usando água e extintores de incêndio. Eles até colocaram uma escada para fazer o resgate de alguma vítima, sem sucesso. Até o momento não há informações sobre a origem das chamas.

Chamas atingiram imóvel de dois andaresREPRODUÇÃO / INTERNET

Chamas atingiram imóvel de dois andaresREPRODUÇÃO / INTERNET

Chamas atingiram imóvel de dois andaresREPRODUÇÃO / INTERNET

Chamas atingiram imóvel de dois andaresREPRODUÇÃO / INTERNET

Prefeitura de Paraty disse, em comunicado, que determinou que seja dado todo o suporte necessário à família e também acionou o delegado titular da delegacia do município (167ª DP), Marcelo Russo, para pedir a agilização da perícia médica para a liberação dos corpos.
“A prefeitura também vai solicitar à polícia prioridade absoluta para a apuração das causas do acidente”, informou, em nota.
Fonte: O Dia

Decreto do 13º salário no mês do aniversário sai na semana que vem, diz governo

O governo do estado ainda vai regulamentar o pagamento do 13º salário por meio de decreto

O governo do estado ainda vai regulamentar o pagamento do 13º salário por meio de decreto Foto: Reprodução

A primeira metade do 13º salárionão saiu no contracheque de janeiro de servidores, aposentados e pensionistas do Estado do Rio que fazem aniversário neste mês, como havia prometido o governador Wilson Witzel. A Casa Civil informou que o governo vai regulamentar o pagamento, por meio de um decreto publicado até a próxima semana.

O EXTRA já havia perguntado sobre detalhes do texto, como, por exemplo, se será emitido um contracheque em separado com o valor da parcela do abono. No entanto, a pasta não deu mais informações.

No dia 19 de dezembro, o governador divulgou que mudaria a forma de pagamento do abono, e que os servidores passariam a receber o 13º salário no mês de aniversário.

 

Fonte: Extra

Polícia prende suspeito de clonar carros e roubar cargas para a milícia na Zona Oeste do Rio

Policiais da Delegacia de Roubos e Furtos de Automóveis (DRFA) prenderam, nessa quarta-feira, um homem suspeito de ser responsável por clonar veículos para a milícia comandada por Wellington da Silva Braga, o Ecko. Adriano Assis de Oliveira, o Coiote, foi capturado em uma casa em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio, um dos redutos do grupo paramilitar. Ele também é investigado por roubar cargas para os milicianos.

De acordo com informações da Polícia Civil, na casa onde Coiote foi capturado foi encontrado um carro roubado que foi utilizado em um roubo a uma carga da empresa de cigarros Souza Cruz. O crime aconteceu no dia 16 deste mês. Na residência, foram encontrados produtos roubados da Souza Cruz, um caderno de anotações da milícia, munição e um acessório para armas de fogo. Segundo as investigações da DRFA, os carros clonados por Coiote eram usados pelos milicianos para fazer cobrança de taxas nas áreas dominadas pelo grupo.

A polícia também encontrou documentação de veículos, chaves e placas de carros e toucas ninjas. Na casa havia ainda dezenas de barbeadores e isqueiros, que a polícia acredita terem sido roubados, além de uma roupa com o símbolo do Batman. O ex-PM Ricardo Teixeira da Cruz, conhecido pelo apelido do super-herói, era chefe da milícia que dominava a Zona Oeste do Rio. Atualmente, ele está em presídio federal de segurança máxima. O desenho do morcego ficou conhecido como um dos símbolos do grupo paramilitar.

Coiote já foi condenado a três processos na Justiça do Rio por crimes como roubo, receptação e porte de arma de fogo de uso restrito. Ele recebeu uma pena total de 11 anos e seis meses, de acordo com dados do site do Tribunal de Justiça. Em uma das ações, a pena foi revertida em prestação de serviços à comunidade. Desde julho do ano passado, Coiote estava em regime aberto, cumprindo pena em casa com tornozeleira eletrônica.

Em um dos casos, Coiote foi encontrado com uma moto roubada. Já em outro, ele foi acusado de ter roubado os pertences e o carro de uma vítima junto com comparsas. Após o roubo, o grupo ainda passou a cobrar uma espécie de resgate da vítima, exigindo que ela pagasse R$ 5 mil para ter seu carro de volta.

 

Fonte: Extra