Geração UPP recebe homenagem e celebra sucesso do projeto

Sec. de Esporte entrega novo octógono para a Escolinha Anderson Silva

Imagens

O projeto Geração UPP vem transformando a realidade de crianças e jovens de comunidades com UPPs / Rogério Santana

​São muitos os motivos para o Geração UPP comemorar. O projeto, da Secretaria de Estado de Esporte, Lazer e Juventude (Seelje), em parceria com a Coordenadoria de Polícia Pacificadora, vem transformando a realidade de crianças e jovens. Mais do que as artes marciais, o Geração UPP leva cidadania a cerca de nove mil alunos de 23 comunidades fluminenses. Para celebrar o sucesso do projeto, a pasta prestou uma homenagem, no Complexo Esportivo da Rocinha, com a presença de alunos, professores, pais e representantes dos parceiros do Geração UPP.

“Para a secretaria de Esporte, Lazer e Juventude é fundamental ter projetos como o Geração UPP. São crianças e jovens que estão praticando atividades esportivas, com materiais e metodologia de qualidade. Estamos explorando ao máximo as nossas alternativas de levar o esporte para todo o Estado, seja através de nossos projetos, seja presente em nossos equipamentos. Atuamos em várias frentes, como o esporte de base e, cada vez mais, incentivamos aos alunos a participação em competições, pois sabemos que é uma motivação a mais para aquele talento que foi descoberto. É esse legado social que a secretaria vai deixar para as futuras gerações”, afirmou o secretário Marco Antônio Cabral.

Sec. Marco Antônio Cabral:
Sec. Marco Antônio Cabral: “Esse legado ficará para as futuras gerações”

Um dos exemplos da força do Geração UPP foi a participação de um grupo de alunos no Campeonato Brasileiro de Jiu-Jitsu, realizado no mês de maio, em Barueri (SP). Cinco comunidades pacificadas foram representadas no torneio – Adeus/Baiana, Batan, Cidade de Deus, Jacarezinho e Providência e, ao todo, 66 medalhas foram conquistadas – 29 de ouro, 21 de prata e 16 de bronze.

Mayara Kelly Teixeira, de 12 anos, foi uma das campeãs brasileiras. Moradora do Jacarezinho, na Zona Norte, a adolescente faz aula de lutas no Centro de Referência da Juventude da comunidade, espaço vinculado à Superintendência da Juventude, ligada à Seelje.

“Foi minha primeira viagem para competir. Fiquei muito ansiosa, mas quando soube que tinha vencido a luta, quase morri do coração. O esporte para mim é tudo. Antes, só ficava na rua e agora só quero saber de Jiu-Jitsu”, lembrou Mayara.

Campeão mundial se torna símbolo do projeto

Um feito inédito consagrou de vez o Geração UPP. Gabriel da Silva Monteiro de Oliveira, de 15 anos, venceu o World Jiu-Jitsu, realizado pela International Brazilian Jiu-Jitsu Federation (IBJJF), em Long Beach, Califórnia, nos Estados Unidos, no início de junho. O adolescente, que mora na Providência, se tornou exemplo para muitos outros jovens.

Gabriel de Oliveira, de 15 anos, venceu o World Jiu-Jitsu na Califórnia
Gabriel de Oliveira, de 15 anos, venceu o World Jiu-Jitsu na Califórnia

“Muitos estão me enxergando com outros olhos agora, após a conquista do mundial. Me tornei exemplo para os meninos com quem eu treino lá na UPP. Já tenho outro foco, que é o torneio europeu, no ano que vem. Por isso, já voltei aos treinos. Só tenho que agradecer aos meus mestres e a minha mãe. Quando a oportunidade chegar, temos que aproveitá-la ao máximo”, disse o jovem.Palavra de campeão

Padrinho do Geração UPP, o lutador do UFC Alan Nuguette reafirmou a importância do esporte na vida de tantos jovens de comunidades.

“O Rio de Janeiro está de parabéns, pois, através da secretaria de Esporte, Lazer e Juventude, está abraçando as artes marciais de uma forma incrível. Pode ser que alguns não se tornem campeões nos tatames, mas, sem dúvida, serão vitoriosos na vida. Eu, que saí de comunidade, sei o quanto é importante ter um projeto desses, de forma a dar a mão aos jovens carentes”, lembrou o campeão brasileiro, na categoria leve.

Julie Fernandes, uma das policiais que são professoras do projeto, se mostrou emocionada com a homenagem. Ela foi uma das que acompanhou os alunos no campeonato brasileiro e vê de perto a evolução do projeto.

Lorrayne Marquest, de 15 anos, (à esq.) pratica Muay Thai há dois meses
Lorrayne Marquest, de 15 anos, (à esq.) pratica Muay Thai há dois meses

“Eu estou muito satisfeita com a bela homenagem. Amei as palavras do secretário, pois a corporação recebe muitas críticas, de uma maneira geral. Quando recebemos esse carinho, é gratificante para nós e nos dá mais ânimo para seguir com o trabalho do Geração UPP”, comentou Julie.

Novo octógono

A Secretaria aproveitou a celebração para entregar o novo octógono da Escolinha de Artes Marciais Anderson Silva, que funciona dentro do Complexo Esportivo da Rocinha, um dos equipamentos administrados pela Superintendência de Desportos do Estado do Rio de Janeiro (Suderj). Lorrayne Marquest, de 15 anos, pratica Muay Thai apenas há dois meses e faz elogios para o novo local de treinamento.

“Ficou muito maneiro. Está bem bacana, tudo novinho para a gente treinar”, afirmou Lorrayne. As aulas são de terça a sábado em três turnos – manhã, tarde e noite, é voltado para alunos de 7 a 17 anos e oferece as modalidades de Boxe, Muay Thai e Kickboxing.

Fonte: PMERJ/UPP-RJ

Anúncios

Último dia para inscrições no Festival Internacional Pequeno Cineasta

As obras selecionadas serão divulgadas em agosto na Arena Dicró

Imagens

Podem participar crianças e jovens, com idade entre 8 e 17 anos, que produziram os próprios filmes / Divulgação

​Os interessados em participar do 5° Festival Internacional Pequeno Cineasta têm até esta terça-feira, 30 de junho, para fazer inscrições. Podem participar crianças e jovens de todo o mundo, com idade entre 8 e 17 anos, que produziram os próprios filmes. O evento ocorrerá em setembro, na Arena Carioca Dicró, na Penha.

As obras selecionadas serão divulgadas a partir de 1 de agosto. O objetivo do festival é reunir histórias e mostrar ao público o que acontece quando se dá este poder às crianças.

Alguns dos filmes inscritos poderão ser selecionados para exibição no Programa Pequeno Cineasta, veiculado pelo canal de TV por assinatura Canal Brasil. Até a quarta edição do festival foram exibidos mais de 500 filmes realizados por Pequenos Cineastas do mundo todo. Mais informações no site http://www.pequenocineastafest.com.br.

Fonte: PMERJ/UPP-RJ

‘Sentença confirma investigação’, diz Beltrame sobre condenação de jovens

Secretário rebateu críticas sobre o inquérito que apontava o primeiro menor como responsável pela morte de Jaime Gold

O médico Jaime Gold foi esfaqueado e teve bicicleta roubada na Lagoa

Foto:  Divulgação

Durante a cerimônia de substituição da Força de Pacificação pela Polícia Militar, nesta terça-feira, no Complexo da Maré, o secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame, rebateu as críticas feitas ao inquérito policial que apontava o primeiro menor apreendido por envolvimento na morte do médico Jaime Gold. “Não podemos fazer ilações”, disse ele, lembrando a decisão judicial que condenou o primeiro e o terceiro menor apreendidos.

Os dois jovens deverão cumprir medidas socioeducativas e internação em unidade do Degase por até três anos ( a medida, no entanto, será reavaliada a cada seis meses, para acompanhar o progresso dos adolescentes). O segundo adolescente, apreendido por agentes da Divisão de Homicídios, foi absolvido.

Apesar de a apreensão do primeiro menor ter sido questionada e criticada e de o depoimento do segundo adolescente tê-lo ‘absolvido’, a sentença o considerou responsável pela morte do ciclista.

“Eu sempre disse que não podemos trabalhar em cima de ilações. Temos que esperar o final das investigações. E essa conclusão do Judiciário vem corroborar o que o presidente do inquérito tinha como verdade desde o início”, declarou Beltrame.

Questionado sobre o tempo de internação dos adolescentes, o secretário lembrou que o período é determinado pela lei: “A lei diz que o menor tem que ficar aprerendido por três anos. Não é o secretário que está dizendo isso. É a lei”.

No último dia 17, o Ministério Público havia pedido pediu à Justiça a aplicação de medida socioeducativa ao primeiro adolescente apreendido. Aos outros dois menores suspeitos de envolvimento no caso, o MP requereu a absolvição, mesmo com as confissões da dupla de participação no crime. O depoimento dos dois jovens também chega a absolver o primeiro adolescente.

No entanto, o MP alegou que o pedido de aplicação de medidas ao primeiro menor teve como base “o reconhecimento do adolescente pela testemunha do fato, os depoimentos dos policiais responsáveis pela investigação, as imagens captadas pela câmera do posto de gasolina próximo ao local do fato, entre outros indícios apurados ao longo do processo”.

Além disso, o órgão diz que apesar dos depoimentos dos outros dois menores, “não há provas no processo que confirmem as confissões deles”.

Fonte: O Dia

Polícia Militar ocupa oficialmente o Complexo da Maré

Após um ano e três meses, Força de Pacificação deixa em definitivo o conjunto de favelas que terá quatro sedes de UPPs

O Complexo da Maré, na Zona Norte do Rio, está agora ocupado totalmente pela Polícia Militar. Durante cerimônia realizada na manhã desta terça-feira, no Centro de Preparação de Oficiais da Reserva do Rio de Janeiro (CPOR), o Exército passou oficialmente o patrulhamento do conjunto de favelas para a PM. Mas esse processo teve início em abril, com a ocupação da Praia de Ramos e Roquette Pinto.

No primeiro dia de ocupação da PM na região, o Batalhão de Choque fez operação no conjunto de favelas e prendeu um suspeito com drogas. Os policiais encontraram maconha — a quantidade ainda não foi contabilizada — na casa de Edson Mendonça da Silva, de 30 anos, no Parque União. Também foi apreendida cocaína em outra casa na mesma localidade. O caso será registrado na delegacia.

O policiamento da região é feito por 400 PMs do 1º CPA (Comando de Policiamento de Área), do BPVe (Batalhão de Policiamento em Vias Expressas) e do 22º BPM (Maré). A Polícia Militar faz um cinturão de segurança desde a Praia de Ramos até a Salsa e Merengue, cobrindo os acessos às comunidades da Maré, com 21 pontos de baseamentos. A Avenida Brasil, Linha Amarela e Linha Vermelha, vias expressas que margeiam a Maré, também tiveram a segurança reforçada.

Durante a cerimônia de inauguração, o secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame, ressaltou a importância do cerco da PM na região e também parabenizou o Exército pelo trabalho no conjunto de favelas.

“Só vamos inaugurar UPP quando tivermos uma estrutura digna pra darmos aos policiais. Enquanto essa estrutura não vem, os policiais farão um grande cerco na região e não vamos recuar. Vamos fazer operações pontuais mantendo o diálogo com os moradores”, declarou o secretário, que acrescentou:

“A Maré é um desafio muito grande porque é uma área com três facções diferentes vivendo há 40 anos em uma ilha de violência. A violência urbana não é um problema só da polícia. É da nação, e é preciso que ela discuta isso”, completou.

Ao deixar o Complexo da Maré, o general de Divisão Carlos Alberto Neiva Barcellos destacou o trabalho da Força de Pacificação: “Fica a sensação de missão cumprida. Trouxemos mais segurança e estabilidade à região. O trabalho da PM agora é de continuidade ao nosso”, disse o militar. Já o secretário de Segurança não descartou a parceria com o Exército para outras ações: “A parceria é sempre bem-vinda”, disse ele, sem afirmar que usará as Forças Armadas para uma nova ocupação.

Militares da Força de Pacificação que deixavam a Maré em dois ônibus chegaram a comemorar a saída do conjunto de favelas.

No Complexo da Maré estão previstas as instalações de quatro Unidades de Polícia Pacificadora (UPP): Praia de Ramos/Roquete Pinto; Nova Holanda/Parque União; Baixa do Sapateiro/Timbau e Vila do João/Vila dos Pinheiros.

Fonte: O Dia

Um dia após criança ficar ferida, PMs de UPP voltam a trocar tiros no mesmo local, no Alemão

Um dos acessos ao Alemão, na Avenida do Itararé
Um dos acessos ao Alemão, na Avenida do Itararé Foto: Nina Lima / Extra / Arquivo

Um dia após uma criança de apenas 3 anos ser ferida na perna por estilhaços, enquanto brincava na porta de casa, na região conhecida como Areal, no Complexo do Alemão, Zona Norte do Rio, mais uma troca de tiros ocorreu no local. O confronto foi entre policiais militares da Unidade de Polícia Pacificadora do Alemão e bandidos. Segundo a assessoria de imprensa das UPPs, agentes foram recebidos a tiros por criminosos. Não há registro de feridos, ainda de acordo com a assessoria. Os PMs fazem buscas aos bandidos. A ocorrência está sendo registrada na 45ª DP (Alemão).

Carlos foi medicado e já teve alta
Carlos foi medicado e já teve alta Foto: Urbano Erbiste / Extra

Nesta segunda, David Soares foi atingido por estilhaços de uma bala durante um tiroteio no Areal. O menino estava com a irmã quando sentiu dores na perna esquerda. O garoto foi encaminhado ao Hospital municipal Salgado Filho, no Méier, também na Zona Norte, onde foi avaliado. Ele já recebeu alta. Segundo a Polícia Civil, “as investigações estão em andamento para apurar as circunstâncias do fato. A mãe da vítima está sendo chamada para prestar depoimento e o boletim de atendimento médico sendo solicitado ao hospital”.

Fonte: Extra

Presos policiais que integravam grupo de milícia da Zona Oeste

Agentes da Corregedoria Interna da Polícia Civil e da 9ª DP (Catete) prenderam na manhã desta terça-feira o policial civil Alexandre Castilho Gouvêa de Oliveira e o policial militar Lucas Nunes de Oliveira, conhecido como Goiano, acusados de integrar a milícia conhecida como Liga da Justiça e exercer comando em um condomínio em Campo Grande, Zona Oeste. Os mandados que estão sendo cumpridos na manhã desta terça-feira fazem parte da Operação Valkíria, desencadeada a partir da decretação de prisão preventiva dos policiais pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ).

De acordo com o Ministério Público, os dois agentes ainda estavam na ativa nos quadros das polícias Civil e Militar. O PM Lucas foi preso na academia de ginástica que frequenta em Campo Grande. Já o policial civil Alexandre Castilho foi preso em casa, no mesmo bairro. Um terceiro denunciado pelo MP, Sidney Carvalho da Silva, conhecido como Lacraia, encontra-se foragido. Na casa de um dos presos foram apreendidos R$ 60 mil e notas promissórias.

A decisão da 16ª Vara Criminal da Capital atendeu a denuncia dos promotores do GAECO encaminhada no último dia 15. Segundo os promotores, Alexandre Castilho assumiu o controle do Condomínio Flor do Campo onde atua a milícia em 2011, ao mesmo tempo em que exercia a função de policial civil. Sidney, homem de confiança de Castilho, guiava as motocicletas utilizadas nos homicídios ordenados pelo chefe. E o PM Lucas era quem executava os crimes, geralmente da garupa da motocicleta conduzida por Sidney.

No documento, os promotores pedem ainda busca e apreensão em mais de 20 endereços, a maioria no número 3000 da Estrada da Posse, endereço do condomínio, onde a milícia cometeu diversos crimes, entre eles homicídios, fornecimento irregular de sinal de TV a cabo e de segurança privada, ameaça e constrangimento ilegal.

Fonte: Extra

Falso sargento é preso tentando furtar pistola em quartel da PM no Rio

Uma das entradas do Cfap, onde o falso sargento foi preso
Uma das entradas do Cfap, onde o falso sargento foi preso Foto: Paolla Serra / Extra

Um falso sargento da Polícia Militar foi preso, nesta segunda-feira, tentando retirar uma arma do setor de reserva de armamento do Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças da PM, em Sulacap, na Zona Oeste do Rio. A informação foi recebida pelo WhatsApp do Extra (21 99809-9952 e 21 99644-1263). Vestindo uma farda, com o sobrenome Costa colado no peito, o falso militar entrou no quartel e foi ao setor de reserva e armamento. Lá, se apresentou como policial, e disse que estava ali para buscar uma pistola.

No entanto, foi reconhecido por um PM que trabalha no CFAP e é seu vizinho. O policial acionou o serviço secreto da Polícia Militar (P-2) que prendeu o falso militar. Ao receber voz de prisão, o homem teria passado mal e desmaiou ao ser colocado em uma patrulha. Ao melhorar, ele foi levado para a 34ª DP (Bangu), onde será autuado em flagrante por uso indevido de uniforme. Como se trata de crime de menor potencial ofensivo, o homem será colocado em liberdade, após assinar um termo de compromisso. O caso será encaminhado ao Juizado Especial Criminal.

Procurado pelo EXTRA, o falso sargento, que se identificou apenas como Costa, afirmou que não tentou retirar uma arma.

— Fui apenas conhecer. Queria dar uma volta no quartel, só isso. As pessoas falam demais — disse ele.

Fonte: Extra