Preso homem que atirou na própria companheira na comunidade Tavares Bastos, no Catete

Renan Leandro Figueiredo Corredouro disparou cinco vezes contra Noemi Francisca Eugster, no último 2 de outubro

 

Policiais da delegacia do Catete (9ª DP) prenderam Renan Leandro Figueiredo Corredouro, de 27 anos. Ele é tido como o responsável por ter baleado Noemi Francisca Eugster, de 37, sua companheira, no último 2 de outubro, na comunidade Tavares Bastos, no bairro da Zona Sul do Rio. O suspeito foi preso no último dia 19.

De acordo com a Polícia Civil, apesar de Noemi estar em coma desde o dia do crime, durantes as investigações, foram reunidas provas para que fosse decretada a prisão temporária de Renan por 30 dias. Ele vai responder por tentativa de feminicídio.

O crime

No momento do crime, Renan fez cinco disparos contra Noemi. Ela foi atingida por três deles (braço direito, braço esquerdo e no tórax). De acordo com testemunhas, eles teriam tido uma discussão momentos antes do crime. Renan fugiu após acertar a ex.

A vítima foi encontrada caída em um beco em frente à sua casa e foi socorrida no Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro.

 

Fonte: O Dia

Anúncios

Três pessoas são encontradas mortas em veículo em Niterói; morador é ferido por bala perdida na cabeça

Caso ocorreu na Rua Tenente Osório, esquina com a Alzira Vargas do Amaral Peixoto, no bairro Fonseca, em Niterói
Caso ocorreu na Rua Tenente Osório, esquina com a Alzira Vargas do Amaral Peixoto, no bairro Fonseca, em Niterói Foto: Reprodução/ Google Street View

Três pessoas foram encontradas mortas, com marcas de tiros, em um veículo, na Rua Tenente Osório, esquina com a Alzira Vargas do Amaral Peixoto, no bairro Fonseca, em Niterói, cidade da Região Metropolitana do Rio. O caso ocorreu na noite desta segunda-feira. Segundo o 12º BPM (Niterói), aos agentes foram chamados até o local e confirmaram a ocorrência. A polícia também afirmou que o caso é oriundo de uma guerra entre facções rivais das comunidades da Vila Ipiranga e Santo Cristo.

Durante o tiroteio ocorrido nesta madrugada na região, o morador José Airton Catunda Mororó, mde 42 anos, foi baleado na cabeça e levado para o Hospital Estadual Azevedo Lima. Segundo a direção do hospital, o estado de saúde dele é estável.

Em nota, a Polícia Militar informou que, na madrugada desta terça-feira, policiais militares do 12°BPM (Niterói) foram chamados para uma ocorrência na rua Tenente Osório, no bairro Fonseca, onde um carro foi encontrado e em seu interior havia três corpos. A área foi preservada e a Delegacia de Homicídios acionada.

Ainda não se sabe a identificação das pessoas mortas.

Fonte: Extra

TV Globo flagra tiroteio na Cidade de Deus durante operação da PM

Os bandidos atirando contra um caveirão da PM na Cidade de Deus
Os bandidos atirando contra um caveirão da PM na Cidade de Deus Foto: TV Globo / Reprodução

A TV Globo flagrou um tiroteio na manhã desta terça-feira, na Cidade de Deus, na Zona Oeste do Rio. As imagens de helicóptero mostram três bandidos posicionados atrás de um muro na localidade do Caratê. Um deles usa um buraco na estrutura para apoiar sua pistola e disparar. Outro, com um fuzil, está agachado e atira a esmo em direção a um local onde está posicionado um caveirão da Polícia Militar. Um terceiro criminoso está de pé, um pouco mais atrás.

Na região dos disparos há muitas casas. Outra cena que chamou a atenção é a de uma mulher e uma criança que saem correndo em meio ao confronto.

A PM informou, por meio de seu perfil no Twitter, que unidades do 2º Comando de Policiamento de Área (CPA) — responsável por batalhões que atuam na Zona Oeste do Rio — e o Batalhão de Operações Especiais (Bope) fazem uma operação na Cidade de Deus. Até as 6h45m não havia informações de feridos, prisões e apreensões.

 

Fonte: Extra

Cariocas criam ‘redes de proteção’ para evitar assaltos

Sinal de perigo. Cartaz em poste da Rua Maxwell, em Vila Isabel: descrição de suspeito é divulgada em vários locais
Sinal de perigo. Cartaz em poste da Rua Maxwell, em Vila Isabel: descrição de suspeito é divulgada em vários locais Foto: Gabriel de Paiva / Agência O Globo

Sem contar com sistemas sofisticados de localização de manchas criminais, moradores do Rio decidiram dividir com vizinhos suas experiências com assaltos no estado. Para fazer frente à segurança deficitária, eles estão espalhando cartazes e faixas pelas ruas e criando grupos de Whatsapp para alertar sobre o risco de roubos em várias regiões e divulgar características físicas de suspeitos. A rede de proteção e solidariedade vai mais longe, e até adesivos para identificar os carros da vizinhança são usados, com o objetivo de detectar a presença de estranhos.

Em Vila Isabel, conforme informou o colunista do GLOBO Ancelmo Gois, a Rua Maxwell está cheia de cartazes que descrevem um suspeito. “Cuidado, risco de assalto! Motoqueiro acima do peso, rosto com acne, mulato claro , 28 a 32 anos”, diz o aviso. A iniciativa partiu de um casal assaltado no início da semana passada.

— Aqui está terrível. Eles roubam de tudo; motos, bicicletas, joias… Eu fui assaltada quando caminhava com meu cachorro. Fiquei sem o celular, a carteira e meus documentos — conta a autônoma Patrícia Queli, de 47 anos.

Um porteiro que acompanha o vaivém diário testemunhou vários casos de violência:

— Esse pedaço aqui é delicado para quem anda de celular. Já vi mais de dez pessoas sendo assaltadas.

Após ser roubado, Cláudio Leite, de 54 anos, morador de Vila Valqueire, criou comunidades de proteção nas redes sociais. Além de um grupo no Whatsapp com cerca de 40 integrantes, uma página no Facebook dá informações para moradores do bairro e de áreas vizinhas (Bento Ribeiro, Marechal Hermes, Oswaldo Cruz e Campinho).

— A gente vai comunicando, identificando pessoas e carros suspeitos. Traçamos os perfis dos assaltantes e os informamos ao batalhão da PM da nossa região— disse Leite.

Em São Gonçalo, surgiu uma iniciativa ainda mais radical: os moradores do bairro Mangueira resolveram colocar um adesivo padronizado em seus veículos com adesivos. A empresária Aline Sant’Anna, de 44 anos, afirma que qualquer carro estranho já levanta suspeitas:

— As faixas que chamavam a atenção para os locais mais perigosos foram deterioradas pelo tempo, e nós mudamos a ação. Hoje, temos adesivos em todos os carros de moradores, com um logotipo da nossa associação, para identificar os veículos de quem vive na Mangueira. Quando não tem o adesivo, fica todo mundo de olho— contou Aline, acrescentando que a participação coletiva já provocou uma queda no número de assaltos.

O antropólogo Lenin dos Santos Pires, professor do Departamento de Segurança Pública da UFF, questiona a eficácia dessas medidas. Ele alerta que avisos sobre características de suspeitos podem gerar mais violência:

— Esse tipo de informação deveria estar somente nas mãos dos órgãos de segurança pública para investigação.

 

Fonte: Extra

Pai e filho são presos por morte de PM em Duque de Caxias

Sérgio e o filho Keven foram presos pela DHBF Foto: Reprodução

Pai e filho foram presos, nesta segunda-feira, por policiais da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) suspeitos de participarem da morte de um PM durante uma briga de trânsito. Sérgio Bento de Medeiros, de 45 anos, e Keven Porto de Medeiros, de 19, tiveram a prisão decretada pela Justiça.

O cabo Adriano Góes Lisboa, de 36 anos, levou pelo menos cinco tiros após se envolver numa batida no último dia 22, em Duque de Caxias. Ele colidiu contra o carro de Sérgio na Rua 12, no bairro Jardim Barro Branco. De acordo com a DHBF, “após buscas incessantes nos endereços dos investigados, os presos se entregaram”.

Adriano era lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Morro da Formiga, na Tijuca, Zona Norte da capital. Ele estava na corporação havia nove anos e deixou a esposa.

Informações passadas ao Disque-Denúncia (21 2253-1177) ajudaram a polícia na prisão dos suspeitos.

 

Fonte: Extra

Tentativa de roubo termina com tiros disparados no Humaitá

Os motoristas fora dos carros na Rua Humaitá
Os motoristas fora dos carros na Rua Humaitá Foto: Onde Tem Tiroteio / Reprodução

Uma tentativa de roubo na manhã desta terça-feira terminou com tiros sendo disparados na Rua Humaitá, no Humaitá, na Zona Sul do Rio. De acordo com informações de policiais militares do 2º BPM (Botafogo), dois bandidos numa motocicleta tentaram roubar outra moto. No momento da abordagem, ocorreram os disparos — testemunhas contaram que foram pelo menos três. Ninguém ficou ferido. Os criminosos fugiram.

Um dos tiros atingiu um carro que estava parado na via. No portão de um edifício perto do local onde estava o automóvel é possível ver uma perfuração. De acordo com o porteiro, ela foi feita por uma bala que atingiu a estrutura.

A marca deixada no portão do prédio na Rua Humaitá
A marca deixada no portão do prédio na Rua Humaitá Foto: Fabiano Rocha / Agência O Globo

 

Uma foto publicada pelo aplicativo “Onde Tem Tiroteio” mostra carros com portas abertas. Motoristas e passageiros saltaram dos veículos no momento da tentativa de assalto. Algumas pessoas correram para se abrigar numa banca de jornal.

A Polícia Militar informou, por meio de nota, que equipes fazem buscas à procura dos criminosos e que o policiamento foi intensificado na região:

“Segundo informações do 2°BPM (Botafogo), na manhã desta terça-feira (30/10), policiais militares da unidade foram acionados para ocorrência de tentativa de roubo na rua Humaitá. No local, os policiais foram informados que dois criminosos tentaram roubar a motocicleta de uma pessoa, efetuaram dois disparos de arma de fogo e fugiram. Buscas estão sendo feitas na região e o policiamento foi intensificado. A motocicleta não foi roubada e a vítima não foi ferida”.

 

Fonte: Extra

Policial militar é baleado ao tentar impedir roubo na Avenida Brasil; vídeo mostra pânico

O pânico dos motoristas na Avenida Brasil
O pânico dos motoristas na Avenida Brasil Foto: Reprodução de vídeo

Um policial militar foi baleado, na manhã desta terça-feira, ao tentar impedir roubos na Avenida Brasil, altura da Vila Kennedy, na Zona Oeste do Rio. O agente fazia parte de uma equipe do 14º BPM (Bangu) que foi à via expressa checar informações de que bandidos estariam realizando roubos no local.

Quando os PMs chegaram os bandidos atiraram contra eles. O policial foi atingido numa das mãos e socorrido no Hospital municipal Albert Schweitzer, em Realengo, também na Zona Oeste. Ele já recebeu alta. Os criminosos fugiram.

Vídeos que circulam em redes sociais mostram o desespero na Avenida Brasil no momento do tiroteio. Um deles mostra motoristas agachados fora de seus carros para se protegerem dos disparos.

A Polícia Militar informou que um veículo roubado na Avenida Brasil, perto do acesso à Vila Kennedy, foi recuperado por agentes do Batalhão de Policiamento em Vias Expressas (BPVE). A ocorrência foi encaminhada para a 34ª DP (Bangu).

 

Fonte: Extra