SEAP INAUGURA MAIS UM ESPAÇO CULTURAL EM UNIDADE PRISIONAL

O evento aconteceu no Presídio Ary Franco

 

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), em parceria com a Sociedade Bíblica Brasileira, Igreja Metodista Wesleyana Central e Igreja Evangélica Nova Jerusalém, conhecidas como Ministério Restaurar Petrópolis, inaugurou na manhã desta quarta-feira, 31 de maio, o Espaço Cultural Castro Alves, no Presídio Ary Franco, em Água Santa.
A ação faz parte de um projeto de ressocialização de internos em unidades prisionais e homenageou o poeta Castro Alves, chamado como “poeta dos escravos”.
Os representantes da Sociedade Bíblica Brasileira e do Ministério Restaurar Petrópolis, Dani Paz e Cristina Vilar, agradeceram a parceria. “Estamos honrados, porque é um sonho a ser realizado. Esperamos que utilizem o espaço para a transformação”, disseram.
O diretor do Presídio Ary Franco, Demétrio Pereira Martins Junior, falou da importância da inauguração para a unidade. “É muito bom ter esse projeto social, pois é uma chance de crescimento intelectual e cultural”, falou.
Já o subcoordenador das unidades prisionais do Grande Rio, Alexandre Brandão, enfatizou a chance oferecida aos internos. “É uma oportunidade de ter acesso à leitura, podendo ter a remição de pena e garantir uma nova vida”, ressaltou.
O subsecretário de Tratamento Penitenciário, Gilson Nogueira, mostrou que esse é mais um degrau para a ressocialização. “Esses eventos estão ajudando no crescimento do sistema penitenciário. Ficamos felizes com as parcerias que contribuem para a realização dessas ações. Muito obrigado”, concluiu.

 

Fonte: SEAP

PROGRAMA JUSTIÇA ITINERANTE É REALIZADO EM UNIDADE PRISIONAL

Justiça Itinerante no Instituto Penal Oscar Stevenson (4)

A ação é uma parceria entre Seap e o Tribunal de Justiça

 

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) em parceria com o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ) realizou na manhã desta quarta-feira, 31 de maio, uma ação do Programa Justiça Itinerante, no Instituto Penal Oscar Stevenson, em Benfica.

Justiça Itinerante no Instituto Penal Oscar Stevenson (32)
O programa, criado há 13 anos, realiza atendimentos como a regularização do título de eleitor, Cadastro de Pessoa Física (CPF), Registro de Nascimento, Defensoria Pública, Identificação Civil, setor de audiência para casamentos, retificação de documento, registro tardio e de certidão de nascimento, guarda de filho e pensão alimentícia em locais onde a sociedade civil não tem acesso.
Essa é a primeira vez que o projeto atende a uma unidade prisional, beneficiando 80 presas.
A interna Sueni Marcolino do Nascimento conseguiu tirar suas primeiras documentações. “Estou muito feliz, porque não tinha RG, CPF e nem certidão de nascimento. Lá fora, eu não me sentia gente e aqui me sinto mais importante”, afirmou.

Justiça Itinerante no Instituto Penal Oscar Stevenson (34)
Durante a ação social também foi realizado o primeiro casamento homoafetivo. As internas Lorena Cerqueira Fernando e Andréia Ramos de Andrade comemoraram o momento. “É uma sensação boa, um sonho. Que bom que conseguimos realizar a nossa união”, disseram.
A diretora do Instituto Penal Oscar Stevenson, Rosana Félix, falou do papel das parcerias e de programas sociais. “O que aconteceu na unidade mostra que aonde as mãos dessas internas não alcançam, as nossas buscam. Estamos felizes por ter um projeto de inclusão, cumprindo assim o nosso papel ressocializador”, falou.
Já a desembargadora e coordenadora do projeto, Cristina Tereza Gaulia, explicou como é o funcionamento da ação. “O projeto do Tribunal de Justiça visa atender quem não consegue ter acesso ao Judiciário e, por isso, estamos aqui. Esse é um programa piloto para regularizar a situação documental e familiar dos internos do sistema penitenciário e aos poucos, com certeza, vamos expandir para outras unidades prisionais”, concluiu.

 

Fonte: SEAP

 

Guarda Municipal faz pedinte mostrar perna escondida no Rio

Caso aconteceu na Tijuca. Segundo a Guarda Municipal, homem fingia ser deficiente. Como nenhuma vítima se apresentou, homem foi “orientado e liberado”.


Guarda Municipal faz pedinte mostrar perna escondida

Guarda Municipal faz pedinte mostrar perna escondida

Um vídeo que mostra dois guardas municipais abordando um morador de rua está circulando na web desde esta quarta-feira. Nas imagens, os guardas pedem ao morador de rua, sentado em cima de um papelão e que aparentemente teve uma perna amputada, colocar “a perna pra fora”. Eventualmente o homem mostra que realmente estava escondendo uma das pernas.

“Tá querendo enganar quem? Tá querendo enganar o cidadão?”, diz um deles, enquanto o outro pede para que o homem mostre a perna. Após encostarem no homem sentado com o coturno e insistirem muito, ele tira a bermuda, revelando a suposta perna perdida dobrada próxima ao corpo.

“Guarda Municipal fazendo milagre: o aleijado andar”, diz um dos guardas no vídeo.

Sobre a ocorrência, a Guarda Municipal do Rio informou que “uma equipe da Unidade de Ordem Pública (UOP) da Tijuca flagrou, na manhã desta quarta-feira, um homem fingindo ser deficiente físico durante o patrulhamento de rotina na Rua General Roca, na altura da Drogaria Venâncio”.

Ainda segundo a corporação, o homem já havia sido abordado há duas semanas e o guarda municipal fez nova abordagem, pedindo para ele se retirar do local. Como não havia vítima, ele foi orientado e liberado.

Fonte: G1

PMs de UPP recuperam carro de Diogo Nogueira na Zona Oeste

De acordo com UPP, GPS do celular do cantor indicou o local

 

Diogo NogueiraReprodução Internet

Policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Cidade de Deus e da 16ª DP (Barra da Tijuca) recuperaram o carro e pertences pessoais do cantor Diogo Nogueira, na manhã desta quarta-feira, na localidade conhecida como Tangará, em Jacarapeguá, na Zona Oeste do Rio.

Ainda de acordo com o comando da UPP, os militares encontraram o automóvel após o GPS do celular do sambista, que também foi roubado, indicar o local. Ainda não há informações sobre prisões.

 

Fonte: O Dia

Soltos após se declararem empreendedores são reconhecidos por duas vítimas

O grupo foi preso dentro de um carro roubado
O grupo foi preso dentro de um carro roubado Foto: Reprodução

Duas vítimas reconheceram os dois homens que foram soltos no último dia 24, após terem dito ser empreendedores, como autores de um roubo e uma tentativa de assalto ocorridos este mês. Adilson Sarmento do Couto e Adriano Viana de Sousa, presos dentro de um carro roubado em Botafogo, na Zona Sul do Rio, tiveram liberdade concedida pela juíza Cristiana Faria de Cordeiro durante Audiência de Custódia. Com os reconhecimentos, nesta semana, a dupla teve a prisão pedida em dois diferentes inquéritos, mas ainda não há decisão judicial.

Um dos casos é justamente o roubo do carro, um Honda City, no qual os suspeitos estavam quando foram presos, em Botafogo. O assalto aconteceu no último dia 22, por volta das 15h, na Rua Potiguara, em Jacarepaguá, na Zona Oeste. Armados, os suspeitos levaram, além do veículo, o celular da vítima e R$ 120. De acordo com a denúncia do Ministério Público estadual, eles ainda roubaram outras pessoas que estavam na rua. Além de Adilson e Adriano, a vítima ainda reconheceu Francisco Breno Faria de Araújo e Alexandre de Sá Pedro, que também foram flagrados e presos no dia 24, dentro do carro roubado, em Botafogo. Eles, no entanto, foram mantidos atrás das grades pela juíza Cristiana Faria de Cordeiro.

Pelo roubo do carro, após serem indiciados pela 41ª DP (Tanque) e denunciados pelo Ministério Público estadual por roubo majorado (em concurso de pessoas e com uso de arma de fogo).

O outro episódio aconteceu no último dia 19, quando um homem sofreu uma tentativa de assalto na Rua Aníbal Benévolo, no Estácio. O crime aconteceu por volta das 13h. A vítima reconheceu Adilson, Adriano e ainda Francisco, após ter visto um vídeo que mostrava a prisão do grupo numa rede social. O rapaz esteve na 6ª DP, onde o caso foi registrado, para fazer o reconhecimento formal. Com a informação, a prisão dos três foi pedida pela polícia à Justiça. Eles responderão por tentativa de roubo seguido de morte, já que a vítima ainda foi vítima de um disparo de arma de fogo que teria sido feito por Adilson, segundo o rapaz.

Ao serem flagrados por policiais militares do 2º BPM (Botafogo) dentro do Honda City, no cruzamento da Rua Henrique Novaes com Rua Real Grandeza, em Botafogo, os quatro suspeitos foram autuados pelo crime de receptação simples. No veículo, havia um alicate normalmente usado para arrombar portas de veículos, um revólver municiado e um aparelho usado para bloquear GPS.

Adilson e Adriano já tinham passagens pela polícia. O segundo, inclusive, já foi condenado num processo criminal a um ano e nove meses de detenção. Mas a juíza Cristiana Faria de Cordeiro considerou positivo o que foi alegado pelos presos – que eram empreendedores – para possibilitar que respondam ao processo em liberdade. A ocupação lícita, no entanto, não foi comprovada pelos acusados. O Ministério Público recorreu da decisão.

A magistrada estabeleceu que Adilson e Adriano devem comparecer mensalmente em juízo. Em seu recurso, o MP argumenta que a liberdade foi concedida à dupla de maneira prematura e inadequada, uma vez que estão presentes os pressupostos e requisitos para a decretação da prisão preventiva.

A promotoria argumenta ainda que o carro onde os suspeitos foram flagrados havia sido roubado um dia antes da prisão, o que possivelmente indica uma conexão entre os crimes. No recurso, foi ressaltado ainda os objetos que havia no veículo, indicando que não se trata apenas de um crime de receptação simples.

Adilson foi preso por receptação em setembro de 2016, e também conseguiu liberdade. Pelo crime, ele responde a processo na 37ª Vara Criminal. Já Adriano foi condenado por tentativa de roubo majorado.

Os quatro suspeitos foram autuados por receptação simples, associação criminosa, posse ou porte de arma de fogo de uso restrito e desenvolver clandestinamente atividades de telecomunicação. A juíza Cristiana Faria de Cordeiro considerou que houve excesso da autoridade policial na capitulação.

O grupo foi abordado na manhã do último dia 30, por policiais do 2º BPM (Botafogo), no cruzamento da Rua Henrique Novaes com Rua Real Grandeza. Os PMs estavam em patrulhamento no bairro e foram alertados sobre um automóvel roubado trafegando nas ruas do bairro.

 

Fonte: Extra

Seis criminosos são presos após praticarem arrastão na Avenida Brasil, na Zona Norte

Fuzil, rádios transmissores e drogas foram encontrados com os suspeitos
Fuzil, rádios transmissores e drogas foram encontrados com os suspeitos Foto: Divulgação / PMERJ

Seis criminosos foram presos após assaltarem motoristas que passavam pela Avenida Brasil, na altura de Bonsucesso, Zona Norte do Rio, na tarde desta quarta-feira.

Eles foram levados em flagrante, próximo ao Hospital Geral de Bonsucesso, por policiais militares do Grupamento Transportado em Ônibus Urbano (GPTOU).

Com os suspeitos, os agentes encontraram um fuzil, rádios transmissores e drogas, além de recuperarem quatro carros que haviam sido roubados.

 

Fonte: Extra

Portal sobe recompensa por chefe do tráfico na Zona Norte de R$ 2 mil para R$ 20 mil

Contra Paulinho do Fogueteiro, há 12 mandados de prisão
Contra Paulinho do Fogueteiro, há 12 mandados de prisão Foto: Divulgação

O Portal dos Procurados subiu para R$ 20 mil o valor da recompensa por informações que levem à prisão do traficante Paulo César Baptista de Castro, o Paulinho do Fogueteiro, de 39 anos, chefe do tráfico de drogas do Morro do Fogueteiro e Fallet, em Santa Teresa, na Zona Norte do Rio. Anteriormente, o valor era de R$ 2 mil.

Segundo investigações da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), o criminoso teria financiando pelo menos quatro dos últimos roubos de joalherias no Rio, como forma de diversificar a atividade criminosa, já que os morros onde ele controla a venda de drogas possuem Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs).

“As joias roubadas são derretidas para confecção de peças para os traficantes ou revendidas para comércios que aceitam esse tipo de mercadoria”, disse o delegado Hilton Alonso, titular da DRF.

CRIMINOSO RECRUTAVA ADOLESCENTES PARA QUADRILHA

Investigações do Ministério Público feitas em 2015 indicaram que o traficante recrutava os adolescentes da comunidade e os levava para trabalhar no tráfico. Pela quantidade de dinheiro que a venda de entorpecentes gerava mensalmente, ele era considerado um dos maiores contribuidores da ”caixinha” do Comando Vermelho.

De sua quadrilha, dois já foram identificados: Leandro Gonçalves Ribeiro dos Reis, o Bizunga do Fallet; e Douglas Silva dos Santos, o Sansão. Todos de sua quadrilha já aparecem em outras três investigações da DRF sobre roubos a joalherias no Rio.

Contra Paulo Cesar Batista de Castro, constam 12 mandados de prisão, expedidos por diversas Varas Criminais, sendo a maioria pelos crimes de associação para a produção e tráfico e condutas afins.

Quem tiver qualquer informação sobre a da localização de Paulo Cesar Baptista de Castro, pode denunciar pelos seguintes canais: WhatsApp ou Telegram dos Desaparecidos (21) 98849-6099; pela central de atendimento do Disque-Denúncia (21) 2253-1177, pelo Facebook (inbox) ou pelo aplicativo do Disque Denúncia. O Portal garante anonimato.

Fonte: Extra