FALE COM A OPERAÇÃO SEGURANÇA PRESENTE

17553993_748951248617432_7912783866672096940_n

 

IMG-20170127-WA0028

 

Conheça a Operação Segurança Presente

 

No dia 1º de dezembro de 2015, foi iniciada no Méier, na Lagoa Rodrigo de Freitas e no Aterro do Flamengo a Operação Segurança Presente, uma iniciativa de interesse público – fruto de uma parceria entre o Governo do Estado e o Sistema Fecomércio RJ. No dia quatro de julho deste ano, a operação chegou ao Centro.  As Operações Segurança Presente foram inspiradas na bem sucedida Lapa Presente, iniciada em 1º de janeiro de 2014.

A operação, de caráter permanente, conta com a participação de policiais militares da ativa e da reserva e agentes civis egressos das Forças Armadas. Vários órgãos atuam coordenados na ação: Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos, Polícia Militar, Polícia Civil, Comando Militar do Leste, Guarda Municipal, secretarias municipais de Ordem Pública, de Desenvolvimento Social, de Conservação, de Transportes e Comlurb.

Para fortalecer a credibilidade das ações, além das abordagens serem filmadas, as equipes também são monitoradas por GPS.

 

29/12/2015 - Operação Lapa Presente. Foto Marcelo HornA Operação Lapa Presente, sediada na Praça dos Arcos da Lapa, é coordenada pelo major PM Laureano e pelo subcoordenador capitão PM Hora.

 

seguranca_presente_shana_reis-10A Operação Lagoa Presente, com sede no Parque dos Patins, é coordenada pelo Major PM Douglas e pelos subcoordenadores capitão PM Goulard e tenente Adriana

 

1-2A Operação Aterro Presente, situada na Cidade das Crianças, é coordenada pelo major PM Amandy Peres e pelos subcoordenadores capitães PM Thomas Costa e André Curvello.

 

cm-meier-presente-15A Operação Méier Presente, situada na Praça Agripino Griecco, é coordenada pelo capitão PM Rafael e pelo subcoordenador tenente PM Neves.

 

Operação Centro PresenteA Operação Centro Presente Alfa, situada na Praça Mauá, é coordenada pelo capitão PM Marcelo Fogaça e pelos subcoordenadores capitães PM Jeimison e Leoni.

 

img-20160922-wa0029A Operação Centro Presente Bravo, situada na Praça XV, é coordenada pelo capitão PM Nhari .

f_356424

A Operação Centro Presente Charlie, com sede no Largo da Carioca, é coordenada pelo capitão PM Coque e pelos subcoordenadores capitães PM Matheus e Marcos Araújo.

 

Centro Presente é ampliado para a Central do BrasilA Operação Centro Presente Delta, situada na frente do Palácio Duque de Caxias, é coordenada pelo capitão PM Marcos e pelos subcoordenadores tenentes PM Gabriel Cavalcante e Avelar.

 

 

Operação Passe Livre já retirou barricadas de mais de 100 ruas de São Gonçalo

Com apoio logístico do Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE), policiais do 7º BPM (São Gonçalo) realizaram nesta quinta-feira (17/08) mais uma etapa da Operação Passe Livre, ações planejadas para retirada de barricadas de vias públicas instaladas por criminosos, tendo como principal objetivo impedir a passagem de viaturas policiais nas comunidades onde estão entrincheirados.  Nos últimos noves meses,  já foram retiradas barricadas de mais de 100 vias públicas localizadas em comunidades de 11 bairros de São Gonçalo.

Os criminosos constroem as barricadas com blocos de concreto, instalação de trilhos de trem fixados no asfalto e até com plantio de árvores em ruas que não são calçadas. Esses obstáculos são retirados com a utilização de uma retroescavadeira cedida pelo BOPE, batizada entre os policiais de “transformer”, em função da semelhança do equipamento com personagem homem-máquina do filme de ficção infantil.

Nesta quinta-feira, a Operação Passe Livre ficou concentrada em ruas do bairro Jardim Catarina, uma das áreas com maior concentração demográfica da América Latina.

– Essa prática de bloquear  ruas é mais uma demonstração do grau de crueldade dos criminosos. Eles impedem que os milhares de moradores tenham acesso aos serviços públicos. Peço que os moradores continuem denunciando a instalação de barricadas. Nós garantimos o anonimato dos colaboradores de nossa luta contra o crime organizado – disse o comandante do 7º BPM, Coronel Ruy Sérgio França. Desde que assumiu o comando da unidade, no final do ano passado, o Coronel França vem colocando em prática a Operação Passe Livre.

Para tentar bloquear a circulação das forças de seguranças nas comunidades com a colocação de barricadas, os criminosos impedem também o acesso de veículos de outros serviços públicos, como ambulâncias, Corpo de Bombeiros, concessionárias de água e luz, carros de entrega de mercadoria.

Na maioria dos casos, o comando do 7º BPM é avisado sobre bloqueios de vias públicas por denúncias anônimas que chegam pelo serviço 190, Disque-Denúncia e pelas redes sociais conectadas à sala de operações da unidade de São Gonçalo.

 

Fonte: PMERJ

Policiais Militares concluem capacitação em ambiente escolar

Imagens

Policiais Militares concluem capacitação em ambiente escolar

​Com o objetivo de capacitar e qualificar agentes de segurança pública de Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) que atuam no ambiente escolar, 78 policiais militares concluíram o Estágio Preparatório para Articuladores em Ambiente Escolar – EPAAE. Em sua segunda edição, e realizado na sede da Coordenadoria de Polícia Pacificadora – CPP durante os meses de julho e agosto, o curso abordou importantes temas relacionados ao trabalho em instituições de ensino, entre eles: Polícia de Proximidade, Comunicação não Violenta, Articulação Comunitária, Resolução Pacífica de Conflitos, Rede de Proteção Social, Direitos Humanos Aplicados a Atividade Policial, Imagem Institucional, Relações Interpessoais, Escuta Ativa, Diálogos e Experiências de Campo e Planejamento de Atividades da PAMESP Escolar.De acordo com a Assessora de Projetos de Proximidade das UPPs, major Bianca Neves, a PAMESP Escolar é uma forma de policiamento que visa garantir a segurança das unidades escolares e vizinhança. Segundo a oficial, nas UPPs esse trabalho vai além do trabalho de policiamento ostensivo.

“O policial é figura presente nas escolas e creches. Ele possibilita a aproximação da Polícia Militar com a sociedade proporcionando oportunidades de cultura, lazer e entretenimento a milhares de crianças e adolescentes”, afirmou Bianca.

Na avaliação do tutor do curso na disciplina Articulação Comunitária, soldado Sávio Resende, da UPP Providência, a iniciativa é de grande importância e relevância para o trabalho policial.  Ele destacou que a atuação dos policiais em escolas não é recente, mas atualmente encontra-se em evidência.

“Qualificação é importante em qualquer profissão. No entanto, na polícia militar ser oferecido um serviço diferenciado e de qualidade junto aos estudantes permite colaborar com a formação de cidadãos comprometidos com uma sociedade melhor”, acredita Sávio.

Participaram do curso policiais militares das UPPs Santa Marta, Andaraí, Tabajaras, Vidigal, Prazeres, Cerro Corá, Salgueiro, Mangueira, Adeus Baiana, Manguinhos, Batan, Lins, Camarista, São Carlos, Pavão, Mangueirinha, Rocinha, Macacos, Caju, Fazendinha, Nova Brasília, Barreira do Vasco, Chatuba, Vila Kennedy, Fé e Sereno, Cidade de Deus, Formiga, Arará Mandela, Borel e Babilônia.

 

Fonte: PMERJ/UPP-RJ

Semana de Comemoração do Dia dos Pais

A polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro realizou nesta semana à “Semana de Comemoração do Dia dos Pais” na Invernada dos Afonsos, em Sulacap. As ações foram promovidas pela Comandante do Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (CFAP), Cel Andréia e contou com a presença do Dom Orani Tempesta presidindo a Crisma dos alunos do CFSd.

 

 

 

 

Fonte: PMERJ

Mulheres de PMs buscam auxílio mútuo após violência contra seus maridos

Nice dos Santos teve o marido morto com sete tiros em 2016. Grupo com esposas de PMs reúne duas mil pessoas.


Grupo de esposas de policiais mortos reúne mais de 2 mil pessoas

Grupo de esposas de policiais mortos reúne mais de 2 mil pessoas

 

No episódio desta quinta-feira (17) da série de reportagens do RJTV sobre violência contra policiais militares, mulheres de PMs relatam a tensão que vivem com a constante violência que seus maridos sofrem enquanto trabalham no Rio. As viúvas ou mulheres de policiais militares criaram um grupo, com mais de 2 mil integrantes, para se ajudarem em situações delicadas.

Nice Martins dos Santos era casada com o soldado Pedro Ferreira Júnior, de 33 anos, quando ele foi executado em 2016 com sete tiros após ser reconhecido como PM.

“O policial militar está sendo caçado como se caça ganso, pato, infelizmente, é isso que tem acontecido. Hoje em dia, a família do policial militar não tem mais lazer. Ele não pode jogar bola, ele não pode ir a uma praia, não pode ir numa pizzaria”, disse Nice.

“A cada dia que o noticiário, que o repórter falava que matou um policial, ou que a gente recebia a mensagem “ah, matou mais um policial”, sempre meu esposo falava “estou numa fila com a senha na mão e a qualquer momento a minha senha pode ser chamada”. Infelizmente dia 24 de setembro aconteceu, a senha dele foi chamada”, completou.

Nice e Pedro tinham um filho de oito anos. O soldado fez parte da corporação por três anos. A viúva contou que o filho do casal tentou consola-la ao saber que o pai tinha morrido.

“Infelizmente, eu perdi o meu herói. No dia ele foi ver uma partida de futebol de um time que ele tinha fundado, um time que ele tinha criado, todos evangélicos e amigos de infância. Ele foi simplesmente assistir, ele não foi jogar e infelizmente foi assassinado brutalmente por ser reconhecido como policial militar do estado do Rio de Janeiro”, contou.

“Eu tive que dar a triste notícia para o meu filho e ele falava “mamãe eu esperava que isso poderia acontecer um dia, eu sabia que isso poderia acontecer um dia”. Você imagina uma criança de 8 anos de idade tentar consolar a mãe dizer que pela violência que ele assistia todos os dias, que ele vivia, ele falar que ele esperava aquilo acontecer. Ele tinha o pai como herói. E hoje? O que resta para o meu filho é uma mãe com o coração dilacerado”.

Condições de trabalho precárias

Nice dos Santos disse ainda que o marido reclamava das condições de trabalho que ele passava. Pedro dizia que o armamento utilizado não era suficiente para a função.

“Ele reclamava que muitas das vezes estava dentro da favela com uma simples pistolinha, sabendo que a bandidagem estava armada de fuzil. Sabendo que um tiro de fuzil seria fatal. Granada e muitas das vezes como é que você vai se defender? Como você vai ter um grupo de cinco pessoas dentro de uma favela patrulhando de pistola e um fuzil. Como se reveza um fuzil para cinco pessoas? Não tem como”.

Fonte: G1

Suspeito de roubar pedestres em Botafogo e no Flamengo é preso

Vítimas do assaltante o reconheceram e ajudaram nas investigações

Homem é preso suspeito de roubar pedestres em BotafogoDivulgação

 

Policiais da 10ª DP (Botafogo) prenderam, na última quarta-feira, um homem suspeito de roubar pedestres em Botafogo e no Flamengo, na Zona Sul do Rio. De acordo com o delegado titular Tarcísio Andreas Jansen, Caio Wendel Ferreira Lima foi localizado e detido em sua residência.

O reconhecimento de Caio foi feito por vítimas do assaltante, informou o delegado. Ainda de acordo com Tarcísio Jansen, seguem em andamento as investigações para localizar outros comparsas do bando.

 

Fonte: O Dia

Presos no Jacarezinho integram quadrilha de roubo a motoristas de aplicativo, diz polícia

Vítimas de roubo identificaram os suspeitos na delegacia
Vítimas de roubo identificaram os suspeitos na delegacia

A Delegacia de Combate às Drogas (DCOD) divulgou a identidade de dois suspeitos presos na tarde desta quinta-feira na comunidade do Jacarezinho, Zona Norte do Rio: Leonardo Magno Salazar Andrade, de 22 anos; e Ruan Carlos da Silva Oliveira, de 28 anos. A especializada informou que a dupla integra uma quadrilha empenhada em roubar motoristas de aplicativo (Uber).

De acordo com o relato dos policiais, os suspeitos foram capturados quando tentavam fugir da área no momento da operação realizada pela Core. Com eles, a equipe encontrou celulares que foram roubados por eles nesta madrugada, conforme identificado pelas vítimas que compareceram à delegacia. Elas relataram ainda terem ficado horas em poder dos criminosos, antes de serem liberadas.

Andrade e Oliveira confessaram o crime à polícia e afirmaram serem obrigados a dar parte dos produtos roubados para o chefe do tráfico do Jacarezinho, identificado como Paulo Henrique Godinho dos Santos, o PH. Ambos vão responder por roubo triplamente majorado e por receptação, informou a especializada.

Este é o sétimo dia de confronto na região do Jacarezinho.

 

Fonte: Extra