Disque Denúncia oferece recompensa por informações de assassinos de tenente morto em Jacarepaguá

Cartaz estampa rosto de policial baleado e morto durante tentativa de assalto
Cartaz estampa rosto de policial baleado e morto durante tentativa de assalto Foto: Portal dos Procurados/Divulgação

 

A polícia busca pelos responsáveis pela morte do subcomandante da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Vila Kennedy, o 2º Tenente Guilherme Lopes da Cruz, de 26 anos. Ele foi assassinado a tiros durante uma tentativa de assalto na Estrada do Gabinal, em Jacarepaguá, Zona Oeste do Rio, na madrugada desta quarta-feira. Para auxiliar as autoridades na busca pelos bandidos, o Portal dos Procurados lançou, no fim da noite desta quarta-feira, o cartaz “Quem Matou?”, que estampa o rosto do PM. Por informações que levem à captura dos criminosos é oferecida uma recompensa de R$ 5 mil.

Guilherme foi baleado 20 minutos após deixar a Delegacia de Homicídios (DH), na Barra da Tijuca, também na Zona Oeste. O oficial esteve na unidade para entregar a arma do sargento do Exército Bruno Cazuca, morto na manhã de terça em um arrastão em Campo Grande, que havia sido levada pelos bandidos. A pistola acabou recuperada horas mais tarde na Vila Kennedy, comunidade em Bangu onde Guilherme atuava como subcomandante da UPP local.

Após prestar depoimento, o tenente saiu da DH já de madrugada, quando eram cerca de 2h40m. Pouco depois, por volta das 3h, a especializada foi acionada para o homicídio do próprio oficial. Após deixar a delegacia, Guilherme havia parado para comer em uma lanchonete do tipo drive-through na Estrada do Gabinal, na Freguesia, sub-bairro de Jacarepaguá. No momento em que o policial retirava a refeição pela janela de seu carro, um Honda HR-V, bandidos anunciaram o assalto.

Pelo menos três homens armados, que desceram de uma caminhonete Hilux de cor prata, participaram do roubo. O tenente reagiu, e houve troca de tiros. Baleado diversas vezes, o oficial chegou a ser socorrido pelo Corpo de Bombeiros para o Hospital municipal Lourenço Jorge, na Barra, mas não resistiu aos ferimentos.

Quem tiver qualquer informação sobre envolvidos no crime pode denunciar pelo WhatsApp ou Telegram do Portal dos Procurados, no telefone (21) 98849-6099; pela Central de Atendimentos do Disque Denúncia, no contato (21)2253-1177, ou aplicativo do órgão; ou ainda por mensagem (inbox) no Facebook, através do endereço https://www.facebook.com/procurados.org/. O anonimato é garantido.

 

Fonte: Extra

Anúncios

Operação cumpre mandados contra mais de cem por tráfico de drogas no Sul Fluminense

O Ministério Público (MP) estadual, por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), e policiais civis realizam, nesta quinta-feira, a segunda fase da operação “Vou de Táxi” em cidades do Sul Fluminense. A ação tem o objetivo de cumprir mandados de busca e apreensão e de prisão preventiva de 92 pessoas denunciadas por tráfico de drogas e delitos conexos em Resende.

Para atuar junto à Polícia Civil local no cumprimento dos mandados, o MP deslocou para a região 22 equipes da coordenadoria de Segurança e Inteligência. Conforme as investigações, a quadrilha conta com mais de cem integrantes, já que, além dos 92 denunciados, pelo menos dez adolescentes serão responsabilizados na Vara da Infância e Juventude. Diante do grande número de criminosos, foram apresentadas sete denúncias à 2ª Vara Criminal de Resende e uma denúncia perante a Auditoria Militar, cada qual contemplando um núcleo de criminosos específico.

Segundo o MP, antes mesmo do início da operação deflagrada nesta quinta-feira, foram encontradas 13 armas de fogo e apreendidos cinco carros e aproximadamente 30 quilos de entorpecentes, dentre maconha, cocaína e crack. Em uma creche municipal, onde um dos denunciados era vigia, os investigadores descobriram munições, incluindo uma de calibre 50, além de materiais para preparação de entorpecentes. Foram realizadas ainda 43 prisões e desmantelados dois laboratórios de refino de drogas.

PMs são denunciados por extorsão

À Auditoria Militar, foram denunciados pelo crime de extorsão os policiais militares Jorge Leonardo Batista Correa e Dorvagnes Fernando de Andrade Silva do Nascimento, ambos lotados no 37º BPM. A extorsão foi comprovada por interceptações telefônicas judicialmente autorizadas no âmbito da “Operação Vou de Táxi II”.

De acordo com as investigações, os PMs estavam em serviço quando abordaram Marcos Felipe e Willian, conhecidos traficantes de drogas da região Sul Fluminense, subordinados a Milton, conhecido como Tio. Na ocasião, Marcos Felipe e Willian estavam a bordo de um veículo BMW de propriedade de Tio. Conforme demonstram as conversas telefônicas, os denunciados inicialmente exigiram a quantia de R$ 30 mil para não apreender o veículo clonado e não prender Marcos Felipe e Willian.

Posteriormente, os valores foram reduzidos para R$ 10 mil. Enfim, os militares aceitaram a importância de R$ 2 mil em espécie e o veículo BMW, que permaneceu “consignado” com Tio, que o recomprou dos denunciados pelo valor de R$ 10 mil, em cinco parcelas semanais de R$ 2 mil, sob a ameaça dos policiais em caso de inadimplência. Os diálogos travados entre Willian e outra comparsa logo após a extorsão comprovam que ao menos parte dos valores exigidos foi paga aos PMs denunciados.

As interceptações telefônicas também foram primordiais para impedir um crime de roubo armado à filial das Lojas Marisa, no shopping Pátio Mix, em Resende, onde quatro criminosos — um deles funcionário da loja — foram flagrados por policiais no curso da ação criminosa.

Denunciados estariam envolvidos em outros crimes

De acordo com o inquérito da “Operação Vou De Táxi – Fase II”, a associação criminosa agia com organização, nos moldes de uma empresa formal, apresentando tentáculos em diversos bairros de Resende, assim como em outras cidades da região, além do Estado de São Paulo. Relatórios elaborados pela Polícia Civil demonstram que os denunciados estão envolvidos em diversos outros crimes, inclusive roubos armados a estabelecimentos de Resende.

“Tanto quanto organizada, a associação mencionada era integrada por elementos da mais alta periculosidade, vários portadores de péssimos antecedentes, restando apurado à saciedade que agiam armados, reiteradamente ameaçando de morte seus devedores e outras pessoas que ousassem atravessar seu caminho, estando os denunciados ligados às facções criminosas oriundas da capital do Rio de Janeiro, bem como ao Primeiro Comando da Capital (PCC), sediada em São Paulo, sendo que os líderes do núcleo ora denunciado fixaram uma célula formal destes grupos criminosos na região Sul Fluminense”, diz um trecho da denúncia encaminhadas à 2 ª Vara Criminal de Resende.

Além das prisões, a operação cumpre cem mandados de busca e apreensão nas residências dos investigados, para localizar e arrecadar novas provas dos crimes para o farto conjunto probatório que já conta, especialmente, com diversos diálogos telefônicos interceptados. Também serão apreendidos bens móveis, já que, ao longo de meses de investigações, o MPRJ apurou que os bens e os ativos dos denunciados são todos provenientes das atividades criminosas.

Fonte: Extra

PMs da UPP Lins encontram arma de tenente morto durante assalto em Jacarepaguá

O tenente Lopes
O tenente Lopes Foto: Reprodução

Policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Lins recuperaram, na madrugada desta quinta-feira, a pistola roubada do tenente Guilherme Lopes da Cruz, subcomandante da UPP Vila Kennedy, morto nesta quarta-feira em uma tentativa de assalto. A arma foi encontrada em uma lixeira na comunidade da Cachoeirinha, no Complexo do Lins, na Zona Norte do Rio. A pistola foi levada pela Delegacia de Homicídios (DH) da Capital, que investiga o crime.

O tenente Guilherme Lopes da Cruz, de 26 anos, foi baleado e morto durante um assalto durante a madrugada. O policial estava numa lanchonete na Estrada do Gabinal, na Freguesia, em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio, quando ele e outros fregueses foram abordados por bandidos. O PM — que participaria de uma operação na manhã desta quarta-feira — foi morto após reagir.

O tenente estava no drive-thru da lanchonete ao volante de seu carro, um Honda HR-V, quando quatro homens anunciaram o roubo. Naquele momento, o oficial retirava sua refeição pela janela do automóvel. Ele sacou sua arma e disparou.

Os ladrões revidaram e, durante o troca de tiros, Lopes da Cruz foi baleado mais de uma vez, segundo informações de policiais da DH. Pelo menos um dos criminosos também teria ficado ferido, mas ainda assim conseguiu fugir.

Policiais do 18º BPM (Jacarepaguá) foram acionados para a lanchonete e, ao chegarem ao local, encontraram o tenente caído ao lado do carro. Ele ainda foi socorrido por uma equipe do Corpo de Bombeiros para o Hospital municipal Lourenço Jorge, na Barra, mas não resistiu aos ferimentos.

Tenente havia apreeendido arma de militar morto em arrastão

De acordo com a DH, o tenente Lopes havia apreendido, na Vila Kennedy, a arma do sargento Bruno Cazuca, morto na terça-feira num arrastão em Campo Grande, e uma S-10 roubada na mesma ocasião. O oficial havia ido à DH Capital, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste, na noite da própria quarta, para apresentar a arma do militar.

Em nota, a Polícia Militar lamentou a morte de Lopes e informou que ele estava na coporação havia três anos:

“A Polícia Militar lamenta informar que o subcomandante da UPP Vila Kennedy, 2° Tenente Guilherme Lopes da Cruz, foi morto na Estrada do Gabinal, Freguesia, após reagir a uma tentativa de roubo, na madrugada desta quarta-feira (21/02), ele estava em uma lanchonete quando foi abordado por criminosos. Mais cedo, o oficial estava na DH onde havia recuperado a arma do Sargento do Exército, morto na manhã de terça-feira (20/02), em Campo Grande. A arma havia sido recuperada na Vila Kennedy. Guilherme tinha 26 anos e estava na corporação há 3 anos”.

 

Fonte: Extra

Balanço final operação integrada Kelson’s

 

A Secretaria de Estado de Segurança (Seseg), com a cooperação das Forças Armadas, realizou operações em diversos pontos no Rio de Janeiro. Em um primeiro momento, foi feito um bloqueio nos acessos às principais rodovias federais nas divisas com São Paulo, Minas Gerais e Espírito Santo e patrulhamentos ao longo do Arco Metropolitano. Os acessos às comunidades do Salgueiro e Jardim Catarina, em São Gonçalo, e Chapadão-Pedreira, na Zona Norte, foram bloqueados. Nesta manhã (20/02), foram deflagradas operações de cerco, desobstrução de vias e ações de estabilização para cumprimento de mandados de Justiça nas comunidades Kelson’s, Cidade Alta, Pica- Pau, Cinco Bocas e Tinta, na Zona Norte do Rio.
Essa foi considerada a maior operação realizada até o momento, por conta da abrangência, e visou reduzir os índices de roubos de cargas, assim como impedir a entrada de armas e droga no Estado.
As ações seguem o contexto do Decreto Presidencial de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) para ações em apoio ao Plano Nacional de Segurança Pública, assinado em 28 de julho de 2017, não estando vinculadas à intervenção federal decretada na última sexta-feira.
Participaram da operação, além das Forças Armadas e as polícias Civil e Militar, as Polícias Rodoviárias Federal e Estadual e a Força Nacional/Senasp.
Até o momento, 11 pessoas, todas maiores, foram autuadas em flagrante ou cumprimento de mandados. Houve apreensão de cinco pistolas e um revólver, dois simulacros de pistola, seis granadas, seis carregadores de pistola, 11 rádios transmissores além de um caminhão, dois carros, quatro motos, várias peças de carros, grande quantidade de drogas e munições.

 

Fonte: SESEG

Mutirão de saúde é realizado em unidade prisional de Bangu

 tb (2)

Toda a unidade prisional foi atendida

 

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), através da Coordenação de Gestão em Saúde Penitenciária, realizou no último sábado, 17 de fevereiro, um mutirão, na Penitenciária Talavera Bruce, no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu.

tb (7)
A ação, em parceria com a Pastoral Carcerária, é chamada “Amor que Cura no Cárcere” e garantiu o atendimento de toda a unidade prisional. Elas puderam realizar exames clínicos, ginecológicos e odontológicos, teste rápido de HIV e exames para detectar tuberculose. Além disso, houve uma distribuição de remédios.

tb (14)
O Secretário de Estado de Administração Penitenciária, David Anthony Gonçalves Alves comentou o sucesso da ação. “É muito importante o trabalho da Subsecretaria de Tratamento Penitenciário. Mesmo em um momento difícil, conseguimos trabalhar de forma expressiva na recuperação dos apenados, porque é o nosso papel possibilitar que eles tenham chances de se tornar uma pessoa melhor”, disse.

 

Fonte: SEAP

Homem é preso e adolescente é apreendido após roubarem celular de passageira

Caso aconteceu na tarde desta quarta na estação de trem de Cascadura

 

Dois homens foram detidos pela equipe de segurança da SuperVia e por policiais militares do Programa Estadual de Integração da Segurança (Proeis), na estação Olímpica de Engenho de Dentro, no início da tarde desta quarta-feira. As câmeras da estação Cascadura flagraram o momento em que os dois suspeitos se aproximaram de uma passageira, que aguardava o trem na plataforma, e tiraram à força o seu celular. Os homens correram pela via férrea e fugiram pulando um muro. O caso foi informado ao Centro de Comando e Controle da prefeitura, que identificou o momento em que eles retornaram ao sistema ferroviário, pela estação Piedade, e embarcaram em um trem no sentido Central do Brasil.

Policiais militares contratados pela SuperVia montaram um cerco na estação Olímpica de Engenho de Dentro, onde os homens foram abordados e o aparelho celular da vítima encontrado. O Grupamento de Policiamento Ferroviário (GPFer) foi chamado, e a vítima e os suspeitos (um deles menor de idade), foram conduzidos para a Cidade da Polícia, no Jacarezinho, onde o caso foi registrado.

Em nota, a SuperVia lamentou “que a violência observada no estado do Rio atinja também o sistema ferroviário, do qual dependem milhares de passageiros”. “Vale ressaltar que a segurança pública, dentro e fora das estações é uma competência do Governo do Estado, que atua por meio de seus grupamentos militares. Ainda assim, a concessionária designa agentes de controle para a realização de rondas diárias. Como não têm poder de polícia, eles são treinados para identificar situações suspeitas e para acionar o policiamento sempre que necessário”, diz trecho do comunicado.

 

Fonte: O Dia

Divisão de Homicídios acredita que morte de mototaxistas está ligada à guerra entre milicianos e traficantes

Mototaxistas estavam na calçada do bar
Mototaxistas estavam na calçada do bar Foto: Google Street View

A Polícia Civil investiga se a execução de dois mototaxistas na manhã desta quarta-feira, na Estrada da Chácara, em Jacarepaguá, Zona Oeste do Rio, é mais num capítulo da guerra entre milicianos e traficantes por domínio de território na região. Segundo testemunhas, os dois estavam sentados em um bar da Rua Florianópolis esperando passageiros quando homens em um carro preto passaram atirando.

Os dois mototaxistas foram mortos na calçada
Os dois mototaxistas foram mortos na calçada Foto: Reprodução

O delegado Rivaldo Barbosa, titular da Delegacia de Homicíidios (DH) da Capital, disse que o crime tem características da guerra pelo controle das favelas da região. Policaiis da DH estão no local.

Os dois atuavam no Morro da Chacrinha, favela que é controlada por milicianos. Segundo relatos, os mototaxistas estavam sendo ameaçados por traficantes do Morro da Barão, na Praça Seca, onde o trafico de drogas é controlado pela maior facção criminosa do Rio.

Na Praça Seca, tem sido constantes os confrontos entre milicianos e traficantes desde o final do ano passado. Moradores da comunidade Bateau Mouche têm enfrentado tiroteios diários. Um vídeo feito por moradores no dia 2 de fevereiro mostrava a dimensão da guerra entre os bandidos. Em plena luz do dia, dezenas de milicianos saíram do Morro da Chacrinha e invadem o Bateau Mouche. Nas imagens, os milicianos aparecem com armas pesadas e alguns com tocas ninja.

 

Fonte: Extra