Bandidos atacam carro da Polícia Civil e agente é baleado na cabeça no Rio

Viatura foi incendiada por bandidos
Viatura foi incendiada por bandidos Foto: Foto de leitor via WhatsApp do Extra

Uma viatura da Polícia Civil foi atacada por bandidos na Via Dutra, altura da Pavuna, sentido Baixada Fluminense, na manhã deste domingo. Segundo a Polícia Civil, os agentes estavam saindo da Cidade da Polícia, no Jacaré, e voltavam para a 53ª DP (Mesquita), quando se depararam com uma tentativa de assalto final da Linha Vermelha, próximo à Via Dutra. Os criminosos dispararam contra o carro da polícia. Na troca de tiros, um policial foi baleado de raspão na cabeça, já na Via Dutra, e foi levado para o Hospital da Posse, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense.

Outro dos tiros acertou a viatura e houve um princípio de incêndio. Bombeiros do quartel de Duque de Caxias controlaram as chamas no local.

Por volta das 11h30, o policial, que preferiu não se identificar, foi liberado do hospital. O agente, de 46 anos, contou que tinha acabado de prestar um serviço na de plantão na Cidade da Polícia com uma equipe, quando ele e os colegas viram duas pessoas tentando roubar uma moto. Na troca de tiros com os criminosos, acabou ferido.

– Foi a primeira vez (que passei por uma situação dessa). A munição passou pela lateral (da minha cabeça) e causou um rasgo.

Agente já foi liberado do hospital
Agente já foi liberado do hospital Foto: Ricardo Rigel / Extra

O Diretor de Departamento Geral de Polícia da Baixada Fluminense, o delegado Sérgio Caldas, esteve no local.

– Durante a ação, os policiais conseguiram balear um dos criminosos, mas, mesmo ferido, conseguiu fugir para o interior da favela.

ARRASTÃO AO MESMO TEMPO

No mesmo horário, também ocorreu um arrastão na Linha Vermelha na altura de Duque de Caxias, perto da Favela do Lixão, a cerca de três quilômetros de distância de onde a viatura pegou fogo. O grupo de criminosos levou motos e pertences de motoristas que passavam pelo local. Um agente penitenciário que preferiu não se identificar e o filho, de 20 anos, foram assaltados. Os bandidos levaram a motocicleta em que estavam e outros pertences. Eles relataram que dois bandidos, também em uma moto, os abordaram e começaram a dar coronhadas nos braços e cabeças das vítimas.

– Não esbocei reação, mas mesmo assim eles foram muito agressivos. Bateram na minha cabeça, na do meu filho, nos braços. Levaram tudo, nossos documentos, celulares, carteiras.

Os bandidos caíram da moto em que estavam, que ficou abandonada, e pegaram a motocicleta das vítimas para fugir. Segundo o agente penitenciário, essa era a primeira vez que fazia uma viagem com o veículo com o filho e eles iriam para um encontro de motociclistas em Penedo, na Região Sul Fluminense.

– Estou revoltado. Não temos segurança em lugar nenhum. O que me dá mais nervoso é ver meu filho ser espancado por um criminosos. O que adianta fazer todo aquele estardalhaço para dizer que as Forças Armadas estavam protegendo a cidade? Isso é tudo mentira, o funcionalismo público está com os salários todos atrasados e não temos segurança.

Policiais com a moto que os bandidos deixaram para trás
Policiais com a moto que os bandidos deixaram para trás Foto: Custódio Coimbra / O Globo

A mesma equipe da Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) que cuidava do caso do policial civil baleado se deslocou para o local do arrastão para apurar os fatos. Até o momento, ninguém foi preso.

Por volta das 10h da manhã, a viatura incendiada já tinha sido retirada da via, e agentes da Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) realizaram uma perícia no local onde o carro pegou fogo e voltou ao local em que o policial foi atingido.

Segundo o Centro de Operações da Prefeitura do Rio, o incêndio causa congestionamento de 2 quilômetros na Linha Vermelha, via que liga o Rio de Janeiro à Baixada Fluminense.

O ataque aconteceu menos de 24 horas depois de uma megaoperação de segurança que contou com mais de 5 mil agentes na Zona Norte do Rio. Um total de 14 pessoas foram presas, sendo que cinco em flagrante, além de dois adolescentes apreendidos.

Moradores passam por militares no Complexo do Lins
Moradores passam por militares no Complexo do Lins Foto: Fabiano Rocha / Agência O Globo

Fonte: Extra

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s