Saiba quais são as 50 ruas com mais roubos a pedestres no Rio

Após assalto, suspeito é abordado na Av. Presidente Vargas
Após assalto, suspeito é abordado na Av. Presidente Vargas Foto: Domingos Peixoto / Agência O Globo

No Rio, o crime tem endereço. Um levantamento feito pelo EXTRA, com base em mais de 20 mil registros de ocorrência feitos em todas as 42 delegacias cariocas, no primeiro semestre deste ano, revela que 50 ruas concentram um quarto de todos os roubos contra pedestres na cidade. No topo do ranking das vias mais perigosas do Rio está a Avenida Brasil com 683 registros — uma média de quase quatro roubos por dia. Empatadas na segunda colocação, as avenidas Presidente Vargas, no Centro; e Pastor Martin Luther King Júnior, que corta a Zona Norte, tiveram menos da metade de casos — 307 cada (veja o ranking completo de casos no infográfico abaixo).

A via mais importante do Centro do Rio, entretanto, concentra crimes numa área muito menor que as outras duas: enquanto na Brasil e na Pastor Martin Luther King os casos se espalham, respectivamente, por 58km e 25km das vias, a Presidente Vargas têm apenas 3km de extensão. E a maior parte dos roubos acontece num trecho de 700m, compreendido entre a Avenida Primeiro de Março e a Avenida Passos: dos 229 registros de roubos (em que a informação da altura exata da via onde o crime foi cometido está disponível), 40% aconteceram nesse trecho. Esse perímetro é policiado pelo 5º BPM (Praça da Harmonia) e também por agentes do Centro Presente, mantido pela Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro (Fecomércio-RJ) e pela prefeitura.

Outra via que também conta com reforço de policiamento é a Avenida Mem de Sá, quinta colocada no ranking, com 181 casos em apenas 1,5km. A maior parte dos crimes acontece na região coberta pelo Lapa Presente, programa mantido pelo governo do estado, entre as avenidas República do Paraguai e Gomes Freire, nas proximidades dos Arcos da Lapa.

Entre as 50 ruas com mais ocorrências, mais da metade estão na Zona Norte, caso da terceira colocada no ranking, a Avenida Dom Hélder Câmara, com 198 roubos. Na Zona Sul, a via recordista de casos é a Avenida Vieira Souto, com 124 crimes.

A definição de roubos a pedestre levada em consideração no levantamento foi a utilizada pelo Instituto de Segurança Pública. Para contabilizar crimes, o órgão separa roubo em diversos tipos. No caso contra pedestres, não entram na contagem roubos de celular e dentro de ônibus, por exemplo.

As vítimas dos crimes e os horários com mais casos

Com base nas informações dos registros de ocorrência, o EXTRA traçou um perfil das vítimas de roubo no Rio. Ao todo, 22.192 pessoas foram roubadas nas ruas do Rio no primeiro semestre deste ano. A faixa etária mais atingida é formada por jovens: um terço do total das vítimas tem entre 21 e 29 anos.

Quanto ao sexo e origem das vítimas, 53% do total são homens e 86% são naturais do Estado do Rio. Entre as vítimas de outros estados, os cearenses lideram: 337 pessoas naturais do Ceará foram assaltadas no Rio. Ao todo, 51% afirmaram na delegacia serem brancos; 33% se disseram pardos.

Dentre os pouco mais de 20 mil registros de ocorrência analisados, em 8.109 — cerca de 40% — as vítimas afirmaram terem sido assaltadas à noite. O segundo período com mais casos é a madrugada, com 22% dos registros. A tarde, entretanto, tem a menor taxa de incidência do crime. A volta para casa após o trabalho, compreendida entre as 18h e 20h, compreende a maior fatia dos casos: 2.626 aconteceram nesse intervalo.

 

Fonte: Extra

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s