Bope faz operação no Vidigal após morte de policial militar

Policial chegou a ser levado para o Hospital Miguel Couto, mas não resistiu aos ferimentos 23/07/2017
Policial chegou a ser levado para o Hospital Miguel Couto, mas não resistiu aos ferimentos 23/07/2017 Foto: Fabiano Rocha / Agência O Globo

Após tiroteio na favela do Vidigal, que deixou um policial militar morto, agentes do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) e do Batalhão de Ações com Cães (BAC) fazem uma operação na comunidade na manhã deste domingo. Eles estão na região desde às 4h30. Até o momento, não há informação de tiroteios no local. O objetivo é localizar os criminosos responsáveis pela morte do 3° sargento Hudson Silva de Araújo. De acordo com informações iniciais, o militar foi atingido durante confronto na Rua Presidente João Goulard, próximo ao Bar do Marcelo. Hudson chegou a ser socorrido para o Hospital municipal Miguel Couto, na Gávea, também na Zona Sul do Rio, mas não resistiu.

Nas redes sociais, há relatos de diversos moradores do Vidigal sobre o tiroteio da última noite. A maioria lamenta a violência no morro, outros afirmam que não conseguiram sair de suas casas por medo.

Na última sexta-feira, um helicóptero precisou fazer um pouso forçado na orla de São Conrado depois de sobrevoar o Vidigal. A polícia investiga se a aeronave foi atingida por um disparo. Numa perícia feita no local, policiais civis encontraram uma perfuração na parte traseira da aeronave, que pousou na mesma área onde aterrizam praticantes de voo livre. De acordo com a Polícia Civil, “há marcas prováveis de tiros”.

Policiais mortos

Com a morte de Hudson, sobe para 91 o número de PM’s mortos no Rio de Janeiro somente este ano. Neste sábado, o soldado Fabiano de Brito e Silva, de 35 anos, foi enterrado no cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap, na Zona Oeste. Cerca de 500 pessoas acompanharam a cerimônia. O PM estava há três anos na corporação, e não resitiu aos ferimentos ao ser atingido na barriga, após reagir a um assalto na Rua Clara de Araújo, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, na manhã da última sexta-feira.

O soldado estava lotado no 20° BPM (Mesquita). Ele seguia para o trabalho no início da manhã, quando foi assassinado. Em seu seputlamento, parentes e amigos de Brito, que era evangélico, cantaram louvores para homenageá-lo, enquanto um helicóptero da corporação despejava pétalas de rosas vermelhas.

Leia na íntegra a nota da Polícia Civil sobre o caso:

“A Delegacia de Homicídios da Capital (DH) esta investigando a morte do policial militar Hudson Silva de Araújo, atingido por tiros, na madrugada deste domingo (23/07), na Avenida Presidente João Goulart, próximo ao “Bar do Marcelo”, na Comunidade do Vidigal.

Segundo dados preliminares, policiais militares estavam realizando patrulhamento no interior da comunidade quando foram atacados por criminosos que efetuaram disparos contra eles. O policial foi socorrido e encaminhado a um hospital, mas não resistiu e faleceu”.

 

Fonte: Extra

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s