Dois PMs ficam feridos após ataque a tiros na Baixada Fluminense

Sargentos foram surpreendidos por criminosos quando atendiam uma ocorrência em Belford Roxo. Ambos estão fora de risco

Dois sargentos da Polícia Militar foram atingidos por tiros, na madrugada deste domingo, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense. Os policiais estavam em uma viatura da corporação, se encaminhando para atender uma ocorrência quando foram surpreendidos com os disparos dos criminosos. O caso aconteceu próximo a 54ª DP (Belford Roxo), onde o caso foi registrado.

Segundo a PM, ambos usavam colete à prova de balas no momento da ação. Um deles foi atingido no ombro e na cabeça, mas o projétil não atingiu o crânio. O outro levou um tiro no ombro. Eles conseguiram dirigir até o Hospital do Joca, no mesmo município, onde foram atendidos. Ainda durante a madrugada, os militares foram transferidos para o Hospital da Posse, em Nova Iguaçu.

A corporação informou que os dois policiais foram encaminhados ao Hospital da Polícia Militar, no Estácio, neste domingo. Eles estão lúcidos e sem risco de morte.

 

Fonte: O Dia

Anúncios

Traficante é preso na Zona Norte e oferece R$ 500 mil a policiais

João Victor Novais da Silva, de 29 anos, foi preso na manhã deste sábado por policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Lins, no Engenho Novo, na Zona norte da cidade. Conhecido como “Fofolete”, ele é apontado pela polícia como o chefe do tráfico de drogas no município de Cordeiro, na Região Serrana. Contra o suspeito, há dois mandados de prisão em aberto por tráfico.

De acordo com a Polícia Militar, o criminoso tentou subornar os agentes e chegou a oferecer R$ 500 mil para não ser preso, mas foi encaminhado para a Central de Garantias, na Cidade da Polícia, onde foi feito o registro da ocorrência.

Fonte: Extra

Arrastão assusta motoristas na Rua 24 de Maio, no Engenho Novo, na Zona Norte

Jovens praticam arrastão na tarde deste sábado no Engenho Novo, na Zona Norte
Jovens praticam arrastão na tarde deste sábado no Engenho Novo, na Zona Norte Foto: Reprodução WhastApp

Um arrastão na rua 24 de Maio, na altura da estação de trem da Supervia Engenho Novo, na Zona Norte do Rio, deixou motoristas que passavam pelo local assustados nesta tarde. De acordo com testemunhas, os assaltantes, na maioria adolescentes, fecharam a via com um carro, um Fiesta, de cor prata ( LRT-5673).

Jovens fazem arrastão no Engenho Novo, Zona Norte do Rio
Jovens fazem arrastão no Engenho Novo, Zona Norte do Rio Foto: Reprodução WhatsApp

Em seguida, começaram a roubar motoristas que ficaram presos atrás do veículo, sem ter para onde fugir. Quem passava pelo local informou que os jovens roubaram celulares, carteiras e, em seguida, voltaram para o carro e fugiram.

A Polícia Militar afirma que não foi acionada para nenhuma acorrência na região.

Fonte: Extra

Famílias expulsas de condomínio do ‘Minha casa, minha vida’ por traficantes ganham novos apartamentos

Denise* comemora a chance de ter uma casa para recomeçar
Denise* comemora a chance de ter uma casa para recomeçar Foto: Roberto Moreyra / Extra

“Aqui vai ficar o sofá, e aqui a TV. Vou trazer também alguns panos para decorar a cozinha. Gosto bem colorida”, diz a dona de casa Denise*, de 33 anos, apontando, de chave em punho, o apartamento vazio.

Apesar de ser uma beneficiária do programa “Minha casa, minha vida”, nos últimos dois anos, ela morou de favor numa casa de parentes em Cabuçu, na Baixada Fluminense. Em outubro de 2014, sob a mira de um fuzil, a dona de casa foi obrigada a fugir, com marido e filho à tiracolo, do Residencial Haroldo de Andrade, em Barros Filho, Zona Norte.

As histórias de Denise e de mais 79 famílias que foram expulsas do condomínio por traficantes foram contadas em março de 2014 no primeiro capítulo da série “Minha casa, minha sina”, publicada pelo EXTRA. Na ocasião, bandidos da favela Final Feliz, atrás do conjunto, ordenaram que moradores oriundos de locais ocupados por uma facção rival deixassem o condomínio. Nos últimos dois anos, o EXTRA acompanhou a luta dessas pessoas por um novo lar. Na última terça-feira, 30 dessas famílias foram realocadas no programa federal, assinaram contratos com a Caixa Econômica Federal e receberam as chaves de seus novos imóveis.

Famílias recebem novos apartamentos
Famílias recebem novos apartamentos Foto: Roberto Moreyra / Extra

No mesmo dia, seis mulheres — chefes de suas famílias — foram visitar seus apartamentos, localizados em dois conjuntos habitacionais em Santa Cruz, na Zona Oeste. Na primeira visita aos novos lares, ainda vazios, elas relembraram suas trajetórias. Após ter que sair de Barros Filho com seu filho de 1 ano, a caixa de supermercado Giovana*, de 23, passou a alugar um puxadinho na favela do Mandela, na Zona Norte — onde, segundo ela mesmo, “a polícia entra toda hora”. Já a auxiliar de serviços gerais Rebecca*, de 58, voltou para uma comunidade, em Bonsucesso, também na Zona Norte, que surgiu da invasão de um terreno que fica embaixo da Linha Amarela.

— Em Barros Filho, dormia com dois sofás na frente da porta. Não sei por que fazia isso, não ia adiantar nada se os bandidos de fuzil tentassem entrar lá. Agora, espero ter tranquilidade para criar meu filho — conta Giovana, sentada no chão de cerâmica da sala de sua nova casa.

Mudança na lei possibilitou realocação

Da expulsão de Barros Filho até o recebimento de um novo imóvel, o périplo dessas famílias incluiu depoimentos em delegacias e inúmeras idas à Companhia Estadual de Habitação (Cehab), responsável pela realocação. Todos esses passos são exigências da nova lei do programa federal, publicada em setembro de 2015, que possibilita que moradores expulsos por criminosos de condomínios do “Minha casa, minha vida” possam receber novos imóveis.

A mudança na legislação começou a ser estudada após a publicação da série “Minha casa, minha sina”. Graças à colaboração dessas famílias, a Polícia Civil fez uma operação no Haroldo de Andrade, também em setembro de 2015, e prendeu cinco pessoas acusadas de expulsar moradores.

Apesar de os tempos de barricadas e fuzis terem ficado para trás, o medo persegue as mulheres. Na porta de seu apartamento, uma delas foi abordada por uma vizinha, que puxou conversa e quis saber de onde elas vieram.

— Viemos de outro condomínio. Não nos adaptamos — desconversou Denise.

Após a visita, elas tiveram que voltar para suas famílias. As mudanças vão começar a ser feitas nessa semana. No retorno de Santa Cruz, pela Avenida Brasil, o grupo avistou os prédios do Haroldo de Andrade ao longe.

— Deus me livre, não piso nunca mais naquele lugar — suspira Giovana.

Esperança no novo lar

Chaves

Segundo a Polícia Civil, ao todo 44 famílias deram entrada no procedimento para receber um novo imóvel. Nem todas, entretanto, receberam as chaves. Alguns dos condomínios que abrigarão essas pessoas ainda não foram inaugurados.

Tráfico

Mesmo com a entrada da polícia no Haroldo de Andrade, o tráfico ainda dá as cartas no local. Depois da operação, traficantes ordenaram a retirada de placas de sinalização do local, para dificultar investigações policiais.

Série

Em março de 2015, o EXTRA revelou, durante a série “Minha casa, minha sina”, que todos os condomínios do “Minha casa, minha vida” destinados aos beneficiários mais pobres — a faixa 1 de financiamento — no município do Rio eram alvo da ação de grupos criminosos.

Reportagens

Na ocasião, as reportagens revelaram que 18.834 famílias estavam submetidas a expulsões, reuniões de condomínio feitas por bandidos, bocas de fumo em apartamentos, interferência do tráfico no sorteio de moradores, espancamentos e homicídios.

* Todos os nomes citados na reportagem são fictícios.

Fonte: Extra

Ônibus são incendiados por criminosos em Anchieta

Um dos ônibus incendiados no bairro de Anchieta
Um dos ônibus incendiados no bairro de Anchieta Foto: Reprodução do Facebook
Pelo menos quatro ônibus foram incendiados em Anchieta, na Zona Norte do Rio, na noite deste sábado. De acordo com a Polícia Militar, o fogo nos coletivos foi ateado por bandidos. O crime aconteceu na Rua Alcobaça. Militares do Corpo de Bombeiros controlaram as chamas. Ninguém ficou ferido.

Os bombeiros do quartel de Ricardo de Albuquerque foram acionados por volta das 20h30m para realizar o controle das chamas. O trabalho só foi finalizado mais de uma hora depois. Antes da chegada da corporação, criminosos teriam abordado os coletivos e ordenado que passageiros e motoristas desembarcassem. Os integrantes do bando, em seguida, atearam fogo.

De acordo com a Polícia Militar, o patrulhamento na região foi reforçado. Mas o incidente deixou moradores e quem passava próximo ao local assustados. Pelas redes sociais, internautas postaram vídeos e fotos dos incêndios. Segundo os registros, as chamas atingiram grandes proporções e, em decorrência do crime, houve interdições na via.

“Medo! Muito triste isso, está pior a cada dia “, lamentou uma mulher através das redes sociais. “Atenção! Bandidos tocam o terror nesta noite de sábado nas proximidades do Chapadão”, alertou um usuário em uma postagem. “Seis ônibus queimados agora à noite, em Anchieta. Se possível, evitem a região”, escreveu outro homem.

O incêndio nos ônibus teria sido motivado por uma ação da Polícia Militar no Complexo do Chapadão, também na Zona Norte, onde um homem teria morrido, informou o site G1. Informações preliminares dão conta de que seis coletivos foram queimados na região. O Corpo de Bombeiros, porém, confirmou que controlou as chamas em quatro veículos.

Fonte: Extra

Bandidos armados com fuzil fazem arrastão no Recreio

Carro abandonado por criminosos após arrastão no Recreio. Eles roubaram outro automóvel durante o crime
Carro abandonado por criminosos após arrastão no Recreio. Eles roubaram outro automóvel durante o crime Foto: Fernando Lemos / O Globo
Criminosos fortemente armados — até com fuzil — fizeram um arrastão, no início da madrugada deste domingo, no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Norte do Rio. Os roubos aconteceram por volta da meia-noite, na Avenida Salvador Allende, próximo ao acesso para a Transolímpica, informou a Polícia Militar.

Segundo o batalhão da área, os criminosos estariam em três carros no momento em que chegaram naquele trecho da avenida. Eles roubaram um veículo e também pertences de outras pessoas que circulavam pelo local. Em seguida, ainda conforme informou a PM, os criminosos seguiram na direção da Transolímpica, por onde teriam fugido. Ainda não há informações sobre quantas vítimas tiveram seus bens levados.

Mais tarde, um dos carros utilizados pelo bando foi abandonado na região onde ocorreu o arrastão. Segundo a Polícia Civil, eles deixaram o carro, modelo Nissan, de cor preta, e levaram o roubado na Avenida Salvador Allende com eles. O veículo foi levado para a delegacia da Barra da Tijuca, a 16ª DP. Ninguém foi preso.

Os agentes constataram que o automóvel abandonado havia sido roubado há poucos dias e um registro de ocorrência havia sido realizado na região da 26 DPª (Méier), na Zona Norte do Rio.

Pela internet, testemunhas narraram os momentos de terror no local. “Estou pasma. Acabei de presenciar um arrastão na Avenida Salvador Allende. Gente correndo com criança no colo, motos voltando pela contramão… Que horror”, escreveu uma mulher, em uma postagem no Facebook.

“Quando vimos os carros voltando, perguntamos para um homem e ele nos disse que ocorreu um arrastão. Demos ré e voltamos. Depois de alguns minutos, um carro de polícia passou e resolvemos voltar pela Transolímpica. Logo depois do batalhão (da Polícia Militar), vimos um carro abandonado pelos bandidos, com as quatro portas abertas”, relatou outra internauta.

OUTROS VEÍCULOS ROUBADOS NO RECREIO

Além do arrastão na Salvador Allende, ao menos outros dois veículos foram roubados no Recreio. Durante a madrugada deste domingo, as vítimas foram até a delegacia da área, a 42ª DP, para registrar a ocorrência dos crimes. Em um dos casos, criminosos abordaram mãe e filha no momento em que elas saíam de casa.

Com as vítimas dentro do veículo, eles disseram que iriam na direção de São Conrado, mas teriam seguido pelo caminho inverso, em direção ao bairro de Santa Cruz. Quando estavam na região Grota Funda, os criminosos liberaram as vítimas. Elas foram ajudadas por moradores do local.

— Elas (as vítimas) nos disseram que tinham sido assaltadas no Recreio e que não tinham nem telefone para se comunicar com a família. Nós, então, trouxemos as duas para a delegacia. O Recreio está muito perigoso. — contou uma mulher, que ajudou as vítimas, depois que foram libertadas pelos bandidos. Ela pediu para não não ser identificada.

Em um outro caso, criminosos renderam três jovens que haviam acabado de estacionar o carro, próximo ao posto seis, quando foram rendidos. Os criminosos levaram o veículo. O automóvel foi recuperado por policiais militares, posteriormente. Este crime ocorreu pouco antes da 1h.

— Tínhamos acabado de chegar na Praça Seis, próximo à Avenida Gláucio Gil. Descemos do carro e andamos pela calçada. Assim que chegamos na esquina, parou um Honda Civic, quase na calçada. Dele desceram duas pessoas (um deles continuou no banco do motorista). Os dois estavam armados — contou um dos jovens, que pediu para não ser identificado. — Eles apontaram a arma para o meu rosto e para o do meu amigo, e disse “me dá a chave do carro, senão a gente vai matar”. Tiramos tudo que tínhamos no bolso e eles mandaram a gente entrar no mato. Eles roubaram o carro em seguida.

O jovem reiterou ainda a rapidez dos policiais militares, que encontraram o carro abandonado.

— Nos atenderam rapidamente. Tinham patrulhado o local há pouco tempo.

PM transmite suicídio ao vivo no Facebook; foto chocante

Douglas Vieira é soldado
Douglas Vieira é soldado

Um policial militar transmitiu a própria morte na noite deste sábado pelo Facebook. O soldado Douglas de Jesus Vieira, de 28 anos, estava há seis anos na PM e era lotado no 24º BPM (Queimados). As imagens dos últimos momentos do policial foram feitas na casa dele, em Brás de Pina, e provocaram comoção entre amigos, internautas e policiais, que vivem uma das mais graves crises da corporação.

 

Nas redes sociais, PMs associam a morte do soldado à falta de pagamento, uma vez que os servidores da segurança estão recebendo com atrasos. Há dezenove dias, no dia 11 de janeiro, Douglas também reclamou da falta de pagamento, em uma publicação no Facebook. “Eu preciso receber, minhas contas vão vencer”, escreveu o PM em alusão ao hit ‘Deu Onda’.

Policiais estão compartilhando montagem na internet
Policiais estão compartilhando montagem na internet Foto: Reprodução do Facebook

Apesar das mensagens associando a morte do PM à crise no Estado, o EXTRA ouviu o padrinho de casamento e amigo do soldado, Clenilson Cruz, que afirmou que podem haver outras motivações que levaram o PM a tirar a própria vida.

– Ele andava muito triste, muito para baixo. Além da falta de pagamento, ele estava se divorciando e trabalhando muito, fazendo segurança privada. Estou muito triste porque ele me chamou para sair ontem e eu não aceitei o convite. Se estivesse com ele, isso não teria acontecido. Infelizmente, só o Douglas mesmo sabia o que teria motivado esta tragédia. Ele era um cara que gostava de curtir a vida. Não consegui até agora entender o que aconteceu – disse.

Cleilson era padrinho de casamento e amigo de infância do PM Douglas de Jesus Vieira
Cleilson era padrinho de casamento e amigo de infância do PM Douglas de Jesus Vieira Foto: Ana Branco / Agência O Globo

Rayane Cristina dos Santos, de 25 anos, ainda é casada com Douglas no papel, mas moravam separados há um ano. Eles têm uma filha, Luísa, de 1 ano e 3 meses. Segundo a jovem, Douglas tinha histórico de depressão e já foi internado quatro vezes na psiquiatria do Hospital Central da Polícia Militar. Da última vez, ficou uma semana internado após tentar se matar ingerindo bebidas e medicamentos.

– Ele tinha histórico de depressão, mas a gota d’água foi o atraso nos salários. Era muito certinho com as contas. Nos últimos meses, muitas vezes me ligava desesperado. Dizia que estava endividado e não sabia como iria pagar o aluguel – contou.

Ainda segundo Rayane, Douglas ligou para avisar o que faria.

– Ele já tinha ameaçado se matar outras vezes. Ontem à noite me ligou, uns 20 minutos antes, dizendo o que ia fazer, mas não acreditei porque ele já tinha falado isso antes. Era um ótimo pai. Sempre pedia que eu só falasse bem dele para ela. Nossa filha dormiu com ele da noite de sexta para sábado. Busquei ela às 7h na casa dele e, à noite, ele se matou – contou.

Policial transmitiu suicídio em rede social
Policial transmitiu suicídio em rede social Foto: Reprodução do Facebook

Ainda de acordo com Clenilson, ele recebeu a notícia por uma prima que assistiu a transmissão na internet. O vídeo original não está mais disponível na página do policial. No entanto, outras cópias circulam pelo Facebook e YouTube.

– Recebi a notícia por volta de 23:50. Minha prima me ligou contando. Fiquei desesperado. A família toda assistiu. Não sei o horário certo em que aconteceu – contou.

Douglas era soldado da Polícia Militar
Douglas era soldado da Polícia Militar Foto: Reprodução do Facebook

Na transmissão ao vivo, Douglas aparece deitado em sua cama e interage com os internautas que o assistem.”E aí, tranquilidade? Tamo junto! Quero ver quem tem disposição pra ver bagulho ao vivo. Quem não tem estômago, mete o pé. O bagulho vai ficar doido agora”, diz o policial. Em seguida, Douglas aponta a arma para cabeça e dispara. Nas imagens não é possível ver o PM morto, já que o celular cai da mão de Douglas e a imagem some.

Soldado da PM transmitiu suicídio ao vivo
Soldado da PM transmitiu suicídio ao vivo Foto: Reprodução do Facebook

Enquanto o policial falava, muitas pessoas pediam para que ele não cometesse o suicídio. “Pelo amor de Deus, Douglas”, “para com isso!”, “Por que você fez isso?” e “Douglas, para de bobeira” são algumas das mensagens que amigos do PM enviaram.A transmissão estava disponível apenas para os amigos do soldado.

Uma amiga do soldado que assistiu a transmissão e prefere não se identificar, disse que Douglas havia feito uma outra filmagem antes da que viralizou nas redes. Segundo ela, quem viu o vídeo acreditou que o PM estava fazendo uma “brincadeira de mau gosto”.

– No primeiro vídeo eu fiquei até zoando ele, mandando ir dormir, mandar alô. Essa transmissão foi uns 10 minutos antes da última. Ele dizia que tinha muitas pessoas que o conhecia somente por rede sociais e que pouco o conheciam verdadeiramente. E disse que queria deixar um recado: que se tivemos algum amigo que vacilou, outro iria dar moral para gente. Ele, então, falou o nome de dois amigos e disse que um dia eles iriam se reencontrar. Ele colocou a arma na cabeça, mandou beijo e encerrou a transmissão. Depois ele fez a outra. Até um pouco depois do disparo, eu achei que ele estava fazendo uma brincadeira de mau gosto. Depois, ligamos várias vezes e nada. Foi quando me dei conta de que era real – disse.

Douglas Vieira deixa uma filha de um ano
Douglas Vieira deixa uma filha de um ano Foto: Reprodução/Facebook

Douglas deixa uma filha de um ano. Segundo Clenilson Cruz, o corpo do policial foi retirado da casa dele, em Brás de Pina, na Zona Norte do Rio, por volta das 05h da manhã deste domingo. A ex-mulher de Douglas e Clenilson estão no Instituto Médico Legal para liberar o corpo. Ainda não há informações sobre o velório e enterro do policial.

Douglas tinha 27 anos de idade
Douglas tinha 27 anos de idade Foto: Reprodução do Facebook

Fonte: Extra